8 results

Composição corporal, força estática e isocinética, e saúde óssea: estudo comparativo entre adultos ativos e futebolistas amadores

Óscar M. Tavares ORCID logo , João P. Duarte ORCID logo , André O. Werneck ORCID logo , Daniela C. Costa ORCID logo , Paulo Sousa-e-Silva ORCID logo , Diogo Martinho ORCID logo , [...]

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4419

RESUMO Objetivo: Comparar a composição de tecidos, o conteúdo mineral ósseo e a densidade mineral óssea totais e por regiões do corpo, a força de preensão manual estática, e força isocinética da articulação do joelho, entre um grupo de jogadores de futebol amadores e um Grupo Controle. Métodos: Estudo transversal utilizando pletismografia de ar deslocado para estimar o volume corporal, para subsequente cálculo da densidade corporal. A composição de tecidos, o conteúdo mineral ósseo e a densidade mineral óssea foram […]

Efeitos do jejum noturno sobre a força muscular em pacientes internados

Wesley Santana Correa-Arruda ORCID logo , Iara dos Anjos Vaez ORCID logo , José Eduardo Aguilar-Nascimento ORCID logo , Diana Borges Dock-Nascimento ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4418

RESUMO Objetivo: Investigar os efeitos do jejum noturno na força muscular de pacientes adultos internados. Métodos: Estudo clínico prospectivo realizado com 221 pacientes adultos. Os desfechos observados foram a força de preensão palmar avaliada pela dinamometria em jejum, após o desjejum, após o almoço, e acumulada (média da força de preensão palmar após desjejum e almoço). Foi considerada a média das três medidas da força de preensão palmar para representar cada momento. O ponto de corte para a média da […]

Relação entre mobilidade funcional e dinapenia em idosos com fragilidade

Antonio Vinicius Soares, Elessandra Marcelino, Késsia Cristina Maia, Noé Gomes Borges Junior

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3932

RESUMO Objetivo Investigar a relação entre mobilidade funcional e dinapenia em idosos frágeis institucionalizados. Métodos Estudo descritivo, correlacional conduzido com 26 idosos institucionalizados de ambos os sexos com média de idade de 82,3±6 anos. Os instrumentos utilizados foram o Mini-Exame do Estado Mental, Escala de Depressão Geriátrica, Questionário Internacional de Atividade Física, teste Timed Up and Go, dinamômetro de preensão manual e dinamômetro portátil para avaliar grandes grupos musculares (flexores do ombro, flexores do cotovelo, flexores do quadril, extensores do […]

Benefícios na função respiratória e capacidade funcional com ingesta de maltodextrina 2 horas antes de colecistectomia por laparotomia: ensaio clínico prospectivo e randomizado

Fabiana Vieira Breijão Zani, José Eduardo Aguilar-Nascimento, Diana Borges Dock Nascimento, Ageo Mário Cândido da Silva, Fernanda Stephan Caporossi, Cervantes Caporossi

DOI: 10.1590/S1679-45082015AO3251

RESUMOObjetivo:Avaliar a alteração da função respiratória e da capacidade funcional, conforme o tipo de jejum pré-operatório.Métodos:Ensaio clínico prospectivo randomizado, com 92 pacientes do sexo feminino, submetidas à colecistectomia por laparotomia, observando jejum convencional ou abreviado de 2 horas com maltodextrina. As variáveis foram: pico de fluxo expiratório, volume expiratório no primeiro segundo, capacidade vital forçada, força de preensão palmar dominante e força de preensão palmar não dominante. As avaliações foram realizadas 2 horas antes da indução anestésica e 24 horas […]

Programa de treinamento físico resistido ondulatório aumenta a força máxima de idosos diabéticos tipo 2

Gilberto Monteiro dos Santos, Fábio Tanil Montrezol, Luciana Santos Souza Pauli, Angélica Rossi Sartori-Cintra, Emilson Colantonio, Ricardo José Gomes, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082014AO3162

ObjetivoVerificar os efeitos de um protocolo de treinamento físico resistido ondulatório nos ganhos de força máxima em idosos diabéticos do tipo 2.MétodosParticiparam do estudo 48 indivíduos, com idade entre 60 e 85 anos, de ambos os gêneros. Eles foram divididos em dois grupos: Idosos Diabéticos Não Treinados (n=19), com aqueles não submetidos ao treinamento físico, e Idosos Diabéticos Treinados (n=29), que foram submetidos ao protocolo de treinamento físico resistido ondulatório. Os idosos foram avaliados em diversos equipamentos de musculação, antes […]

Idosas com síndrome metabólica apresentam maior risco cardiovascular e menor força muscular relativa

Darlan Lopes Farias, Ramires Alsamir Tibana, Tatiane Gomes Teixeira, Denis César Leite Vieira, Vitor Tarja, Dahan da Cunha Nascimento, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082013000200007

Objetivo:Comparar os parâmetros metabólicos, antropométricos, pressão arterial e força muscular de mulheres idosas com síndrome metabólica e sem síndrome metabólica.MÉTODOS:Estudo caso-controle com 27 (67,3±4,8 anos 31,0±5,0kg/m²) idosas com síndrome metabólica e 33 (68,8±5,6 anos 27,2±5,3kg/m²) idosas controle sedentárias. As idosas foram submetidas à avaliação de composição por meio da absorciometria de raio X de dupla energia e teste de força muscular de 10 repetições máximas na extensão de joelhos.RESULTADOS:Quando comparadas às idosas sem síndrome metabólica, as idosas com síndrome metabólica […]

Efeitos das atividades físicas resistida e aeróbia em idosos em relação à aptidão física e à funcionalidade: ensaio clínico prospectivo

Maria Fernanda Bottino Roma, Alexandre Leopold Busse, Rosana Aparecida Betoni, Antonio Cesar de Melo, Juwando Kong, Jose Maria Santarem, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082013000200003

Objetivo:Comparar os efeitos das atividades físicas resistida e aeróbia sobre a aptidão física e funcionalidade de idosos em dois programas de atividade supervisionada: exercícios resistidos e caminhada.MÉTODOS:Ensaio clínico, randomizado, prospectivo, com idosos sedentários, sem contraindicações para atividade física, distribuídos em dois grupos: o Grupo Resistido realizou 6 exercícios por treino, 2 vezes por semana e o Grupo Aeróbio realizou atividade por 30 minutos, 2 vezes por semana. A avaliação funcional (tempo 0,6 e 12 meses) foi realizada pelos seguintes parâmetros: […]

Relação da circunferência do pescoço com a força muscular relativa e os fatores de risco cardiovascular em mulheres sedentárias

Ramires Alsamir Tibana, Tatiane Gomes Teixeira, Darlan Lopes de Farias, Alessandro de Oliveira Silva, Bibiano Madrid, Alexandre Vieira, [...]

DOI: 10.1590/S1679-45082012000300013

Objetivo:O objetivo do presente estudo foi verificar a relação da circunferência do pescoço com a força muscular relativa e os fatores de risco cardiovascular em mulheres sedentárias.MÉTODOS:Estudo transversal, realizado com 60 mulheres pré-menopausadas (33,9±9,1 anos; 67,4±13,6kg; 1,57±0,06cm e 27,2±5,3kg/m²). Com base no valor da circunferência do pescoço, a amostra foi dividida em dois grupos: Grupo Circunferência 35cm (n=33), para efeito de comparação da força muscular relativa e dos fatores de risco cardiovascular. A correlação entre as variáveis foi testada por […]