einstein (São Paulo). 01/jul/2017;15(3):278-82.

Relação entre mobilidade funcional e dinapenia em idosos com fragilidade

Antonio Vinicius Soares, Elessandra Marcelino, Késsia Cristina Maia, Noé Gomes Borges Junior

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3932

RESUMO

Objetivo

Investigar a relação entre mobilidade funcional e dinapenia em idosos frágeis institucionalizados.

Métodos

Estudo descritivo, correlacional conduzido com 26 idosos institucionalizados de ambos os sexos com média de idade de 82,3±6 anos. Os instrumentos utilizados foram o Mini-Exame do Estado Mental, Escala de Depressão Geriátrica, Questionário Internacional de Atividade Física, teste Timed Up and Go, dinamômetro de preensão manual e dinamômetro portátil para avaliar grandes grupos musculares (flexores do ombro, flexores do cotovelo, flexores do quadril, extensores do joelho e dorsiflexores do tornozelo).

Resultados

Foi observada correlação negativa significativa do nível de mobilidade funcional avaliado pelo teste Timed Up and Go com a dinapenia em relação a todos os grupos musculares avaliados, sobretudo os extensores do joelho (r -0,65).

Conclusão

Foi encontrada significativa correlação negativa da força muscular, sobretudo dos extensores do joelho, com a mobilidade funcional em idosos institucionalizados. Quanto maior a força muscular, menor foi o tempo de execução, o que pode significar um melhor desempenho no teste de mobilidade funcional.

Relação entre mobilidade funcional e dinapenia em idosos com fragilidade

Comentários