3 results

Espectroscopia no infravermelho próximo em pacientes sob hemodiafiltração venovenosa contínua

Renato Carneiro de Freitas Chaves ORCID logo , Philipe Franco do Amaral Tafner ORCID logo , Felipe Ko Chen ORCID logo , Letícia Bagatini Meneghini ORCID logo , Thiago Domingos Corrêa ORCID logo , Roberto Rabello Filho ORCID logo , [...]

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4439

RESUMO Objetivo Avaliar o impacto da hemodiafiltração venovenosa contínua na microcirculação de pacientes com lesão renal aguda. Métodos Estudo piloto, prospectivo e observacional conduzido em uma unidade de terapia intensiva clínico-cirúrgica aberta, com 40 leitos, localizada em um hospital terciário, privado, na cidade de São Paulo (SP), Brasil. A microcirculação foi avaliada empregando-se a espectroscopia no infravermelho próximo, por meio de uma sonda de 15mm posicionada sobre a eminência tenar. O teste de oclusão vascular foi realizado no antebraço a […]

Ecocardiografia à beira leito em pacientes graves

Eduardo Casaroto, Tatiana Mohovic, Lilian Moreira Pinto, Tais Rodrigues de Lara

DOI: 10.1590/S1679-45082015MD3271

RESUMOA ecocardiografia tem se tornado uma ferramenta fundamental no atendimento ao paciente grave. Desde os anos 1990, o uso do ecocardiograma por intensivistas vem aumentando progressivamente. É cada vez mais frequente encontrarmos o ecocardiograma como parte do arsenal diagnóstico na avaliação cardiovascular dos pacientes graves, visto se tratar de uma ferramenta não invasiva, que pode ser utilizada à beira do leito de maneira rápida e direcionada. Seja na unidade de terapia intensiva ou no departamento de emergência, médicos com mínimo […]

Como escolher os alvos terapêuticos para melhorar a perfusão tecidual no choque séptico

Murillo Santucci Cesar de Assuncao, Thiago Domingos Corrêa, Bruno de Arruda Bravim, Eliézer Silva

DOI: 10.1590/S1679-45082015RW3148

O reconhecimento e o tratamento precoce da sepse grave e do choque séptico é a chave para o sucesso terapêutico. Quanto maior o atraso no início do tratamento, pior é o prognóstico, em decorrência da hipoperfusão tecidual persistente, e do consequente desenvolvimento e agravamento das disfunções orgânicas. Um dos principais mecanismos responsáveis pelo desenvolvimento da disfunção celular é a hipóxia. A adequação do fluxo sanguíneo tecidual e, consequentemente, da oferta de oxigênio à demanda metabólica, de acordo com a avaliação […]