einstein (São Paulo). 01/mar/2013;11(1):108-10.

Esterilização histeroscópica de paciente com dispositivo intrauterino Mirena®

Daniella De Batista Depes, Ana Maria Gomes Pereira, Salete Yatabe, Reginaldo Guedes Coelho Lopes

DOI: 10.1590/S1679-45082013000100019

A esterilização tubária é o procedimento definitivo mais utilizado no mundo para controle da fecundidade. A ligadura laparoscópica é segura, porém invasiva e com possíveis riscos cirúrgicos e anestésicos. A via histeroscópica permite a oclusão tubária em ambiente ambulatorial, sem incisões ou anestesia. Um microdispositivo (Essure®) é inserido diretamente no interior das tubas e suas fibras internas de poliéster causam sua obstrução em até 3 meses. Durante esse período, deve ser mantido o método contraceptivo temporário utilizado pela paciente. Várias mulheres utilizam o sistema intrauterino liberador de levonorgestrel, denominado comercialmente Mirena®. O objetivo neste estudo foi de avaliar a possibilidade de inserção do Essure® sem a remoção do dispositivo intrauterino e a tolerância da paciente ao procedimento. O dispositivo foi colocado com sucesso em paciente portadora do Mirena® sem necessidade de retirada do mesmo. Após 3 meses o dispositivo intrauterino foi retirado sem intercorrências.

Esterilização histeroscópica de paciente com dispositivo intrauterino Mirena®

56

Comentários