einstein (São Paulo). 21/nov/2018;16(4):eAO4368.

Características clínicas, dietéticas e demográficas que interferem na qualidade de vida de pacientes com câncer

Juliana Alvares Duarte Bonini Campos ORCID logo , Wanderson Roberto da Silva ORCID logo , Maria Claudia Bernardes Spexoto ORCID logo , Sergio Vicente Serrano ORCID logo , João Marôco ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2018AO4368

RESUMO

Objetivo

Estimar a ingestão dietética de pacientes com câncer e sua relação com características clínicas e demográficas, além de verificar a contribuição da ingestão dietética, apetite/sintomas e características clínicas e demográficas para a qualidade de vida deles.

Métodos

Foi estimado o consumo de energia e de macronutrientes. A relação entre ingestão dietética e características clínicas e demográficas foi avaliada pela análise de variância. A ingestão de energia e macronutrientes dos pacientes foi comparada com a necessidade nutricional, utilizando intervalo de confiança de 95%. O Cancer Appetite and Symptom Questionnaire (CASQ) e o European Organization for Research and Treatment of Cancer (EORTC QLQ C-30) foram utilizados para avaliar apetite/sintomas e qualidade de vida, respectivamente. As propriedades psicométricas dos instrumentos foram estimadas. Elaborou-se modelo de equações estruturais.

Resultados

Participaram do estudo 772 pacientes oncológicos (63,1% mulheres). Observou-se relação significativa entre ingestão dietética e atividade laboral, classe econômica, especialidade do diagnóstico, tipo de tratamento e estado nutricional. O consumo de energia e macronutrientes dos pacientes esteve abaixo do recomendado. Tanto o CASQ quando o EORTC QLQ C-30 foram refinados para bom ajustamento aos dados. No modelo estrutural, comprometimento do apetite, maior acometimento por sintomas, presença de metástase, ser mulher e pertencer às classes econômicas mais altas foram características que contribuíram significativamente para o comprometimento da qualidade de vida dos pacientes oncológicos.

Conclusão

A ingestão dietética dos pacientes oncológicos não atingiu os níveis recomendados. Diferentes características impactaram na qualidade de vida dos pacientes e devem ser consideradas em protocolos clínicos e epidemiológicos.

Características clínicas, dietéticas e demográficas que interferem na qualidade de vida de pacientes com câncer

Comentários