einstein (São Paulo). 21/nov/2018;16(4):eAO4372.

Perfil de medicamentos utilizados por automedicação por idosos atendidos em centro de referência

Samanta Bárbara Vieira de Oliveira ORCID logo , Soraya Coelho Costa Barroso ORCID logo , Maria Aparecida Camargos Bicalho ORCID logo , Adriano Max Moreira Reis ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2018AO4372

RESUMO

Objetivo

Determinar o perfil dos medicamentos utilizados por automedicação por idosos.

Métodos

Estudo transversal baseado em entrevistas com idosos atendidos de julho de 2014 a julho de 2015 em um centro de referência na Atenção à Saúde do Idoso de um hospital de ensino. Foram coletadas informações clínicas, demográficas e farmacoterápicas.

Resultados

Entrevistaram-se 170 idosos, 85,9% eram mulheres e a mediana de idade foi 76 anos. A frequência de automedicação foi 80,5%. Os medicamentos mais utilizados por automedicação foram relaxantes musculares de ação central, analgésicos e antipiréticos, além dos anti-inflamatórios e antireumáticos não esteroidais. Entre os idosos que praticaram automedicação, 55,5% utilizaram medicamentos inapropriados para idosos, segundo os critérios de Beers de 2015, e 56,9% utilizam medicamentos que apresentavam duplicidade terapêutica com os medicamentos prescritos. Foram identificados 57 medicamentos utilizados por automedicação, e 30 (52,6%) eram classificados como isentos de prescrição e 27 (47,4%) como de venda sob prescrição médica. Cerca de 68,6% dos idosos apresentavam pelo menos uma interação envolvendo medicamentos prescritos e utilizados por automedicação.

Conclusão

A prática de automedicação foi elevada nos idosos estudados. O amplo uso de medicamentos de venda livre e/ou potencialmente inapropriados para idosos aumenta o risco de interações medicamentosas e de eventos adversos.

Perfil de medicamentos utilizados por automedicação por idosos atendidos em centro de referência

Comentários