einstein (São Paulo). 01/mar/2014;12(1):96-9.

Sucesso no manejo da trombocitopenia aloimune neonatal na segunda gestação: relato de caso

Fabiana Mendes Conti, Sergio Hibner, Thiago Henrique Costa, Marcia Regina Dezan, Maria Giselda Aravechia, Ricardo Antonio D’Almeida Pereira, Andrea Tiemi Kondo, Élbio Antônio D’Amico, Mariza Mota, José Mauro Kutner

DOI: 10.1590/S1679-45082014RC2729

A púrpura trombocitopênica neonatal aloimune é uma doença grave, na qual a mãe produz anticorpos contra antígenos plaquetários fetais herdados do pai, e é ainda subdiagnosticada na prática clínica. É considerada o equivalente plaquetário da doença hemolítica do recém-nascido, com a diferença que o primeiro filho é afetado, apresentando trombocitopenia fetal e/ou neonatal. Há risco significativo de hemorragia intracraniana e sequelas neurológicas graves, com tendência a trombocitopenia mais grave e mais precoce nas gestações subsequentes. Este artigo relata um caso de trombocitopenia aloimune neonatal na segunda gestação afetada e discute diagnóstico, manejo e importância clínica dessa doença na prática clínica.

Sucesso no manejo da trombocitopenia aloimune neonatal na segunda gestação: relato de caso

76

Comentários