einstein (São Paulo). 01/set/2016;14(3):359-65.

Orientação farmacêutica na alta hospitalar de pacientes transplantados: estratégia para a segurança do paciente

Lívia Falcão Lima, Bruna Cristina Cardoso Martins, Francisco Roberto Pereira de Oliveira, Rafaela Michele de Andrade Cavalcante, Vanessa Pinto Magalhães, Paulo Yuri Milen Firmino, Liana Silveira Adriano, Adriano Monteiro da Silva, Maria Jose Nascimento Flor, Eugenie Desirée Rabelo Néri

DOI: 10.1590/S1679-45082016AO3481

RESUMO
Objetivo:
Descrever e analisar a orientação farmacêutica oferecida na alta de pacientes transplantados. Metódos: Trata-se de um estudo transversal, descritivo e retrospectivo, que utilizou os registros das orientações realizadas pelo farmacêutico clínico na unidade de internação do Serviço de Transplante Renal e Hepático, Hospital Universitário Walter Cantídio, em Fortaleza (CE), de janeiro a julho de 2014. Foram analisadas, de acordo com sua significância e desfechos clínicos obtidos, as seguintes variáveis registradas no Banco de Dados do Serviço de Farmácia Clínica: orientações farmacêuticas na alta, problemas e resultados negativos relacionados aos medicamentos, e intervenções farmacêuticas realizadas.
Resultados:
A primeira alta pós-transplante envolveu toda a equipe multiprofissional, sendo o farmacêutico responsável pela orientação do tratamento medicamentoso. A média de altas/mês com orientação farmacêutica no período do estudo foi de 10,6±1,3, totalizando 74 orientações. O tratamento clínico prescrito teve média de 9,1±2,7 medicamentos por paciente. Foram identificados 59 problemas relacionados aos medicamentos; 67,8% relacionaram-se com a não prescrição do medicamento necessário, acarretando 89,8% de risco de resultados negativos associados aos medicamentos por problema de saúde não tratado. A principal intervenção foi a solicitação de inclusão do medicamento (66,1%), e 49,2% dos medicamentos envolvidos agiam no aparelho digestivo/metabolismo. Todas as intervenções foram classificadas como apropriadas, e 86,4% foram capazes de prevenir o resultado negativo..
Conclusão:
A orientação do farmacêutico clínico junto à equipe multiprofissional no momento da alta do paciente transplantado é importante, pois previne resultados negativos associados à farmacoterapia, garantindo a conciliação medicamentosa e a segurança do paciente.

Orientação farmacêutica na alta hospitalar de pacientes transplantados: estratégia para a segurança do paciente

469

Comentários