einstein (São Paulo). 01/out/2010;8(4 Pt 1):467-72.

Músculo adutor do polegar e força de preensão palmar: potenciais métodos de avaliação nutricional em pacientes ambulatoriais com acidente vascular encefálico

Débora Rocha Oliveira, Vera Silvia Frangella

DOI: 10.1590/S1679-45082010AO1763

RESUMO

Objetivo:

Avaliar e comparar a efetividade de diferentes métodos utilizados para avaliação nutricional de pacientes ambulatoriais hemiplégicos que sofreram acidente vascular encefálico.

Métodos:

Estudo transversal realizado com pacientes adultos e idosos, de ambos os gêneros, atendidos em um centro de reabilitação. As variáveis analisadas foram medidas antropométricas, bioimpedância, força de preensão palmar e espessura do músculo adutor do polegar. Utilizou-se o teste do χ2 de Pearson para verificar a associação entre as variáveis analisadas com nível de significância α = 5%.

Resultados:

Ao avaliar a associação entre os indicadores de massa muscular, observou-se que a força de preensão palmar em ambos os gêneros foi positivamente correlacionada com a circunferência muscular do braço (p = 0,0196) e massa magra (p = 0,0002). Já a massa gordurosa mensurada pelo método de bioimpedância apresentou relação inversa significante com a preensão palmar (r = −0,3879). A espessura do músculo adutor do polegar apresentou associação significante com massa magra (p = 0,0052) e preensão palmar (p = 0,0024).

Conclusão:

Neste estudo, a força de preensão palmar e espessura do músculo adutor do polegar foram bem correlacionadas com as mensurações determinadas pela antropometria e pela bioimpedância. Os resultados apontam a aplicabilidade da dinamometria e da espessura do músculo adutor do polegar na prática clínica como métodos de avaliação nutricional para essa população, especialmente idosos, pois detectam alterações funcionais não captadas por outros parâmetros em curto prazo, sendo importantes para identificação precoce do risco nutricional.

Músculo adutor do polegar e força de preensão palmar: potenciais métodos de avaliação nutricional em pacientes ambulatoriais com acidente vascular encefálico

Comentários