einstein (São Paulo). 01/mar/2014;12(1):11-5.

Influência do local de avaliação na mensuração da bilirrubina transcutânea

Cristiane Maria da Conceição, Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus, Maria Aparecida Portella, Alice D’Agostini Deutsch, Celso Moura Rebello

DOI: 10.1590/S1679-45082014AO2711

Objetivo:
Verificar a influência do local da mensuração da bilirrubina transcutânea (fronte ou esterno) na reprodutibilidade dos resultados, quando comparada à bilirrubina plasmática.
Métodos
: Estudo tipo coorte incluindo 58 recém-nascidos a termo sem doença hemolítica. Foram realizadas determinações transcutâneas na fronte (a meia distância entre a raiz do couro cabeludo e a glabela, iniciando do lado esquerdo em direção ao direito, realizando determinações consecutivas, separadas por 1cm) e no esterno (cinco mensurações iniciando da fúrcula até o apêndice xifoide, com determinações consecutivas, separadas por 1cm), utilizando o equipamento Bilicheck® (SpectRx Inc, Norcross, Geórgia, Estados Unidos). Foram calculadas as correlações e a concordância entre ambos os métodos, e a bilirrubina plasmática.
Resultados
: Foi encontrada forte correlação linear tanto entre a determinação na fronte quanto no esterno, com nível sérico de bilirrubina (r=0,704; p<0,01 e r=0,653; p<0,01, respectivamente). Houve correspondência dos valores médios de bilirrubina transcutânea aferidos no esterno (9,9±2,2mg/dL) com os valores plasmáticos (10,2±1,7mg/dL), porém ambos diferiram dos valores medidos na fronte (8,6±2,0mg/dL), com p<0,05.
Conclusão
: Em recém-nascidos a termo sem doença hemolítica, a mensuração da bilirrubina transcutânea realizada no esterno apresenta maior acurácia em relação à mensuração na fronte, quando comparada à bilirrubina sérica.

Influência do local de avaliação na mensuração da bilirrubina transcutânea

64

Comentários