Todos as publicações de “Celso Moura Rebello”

5 results

Integridade científica 2.0: má conduta. Vamos evitar, e não punir!

Anna Carla Goldberg ORCID logo , Oscar Fernando Pavão dos Santos ORCID logo , Celso Moura Rebello ORCID logo , Jacyr Pasternak ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019ED5064

A crescente complexidade das investigações modernas e inovadoras tem levantado questões importantes relacionadas ao compliance (governança) e à conduta responsável na pesquisa. A abrangência dos itens a serem administrados aumentou muito, de forma a incluir grande variedade de questões, desde autoria, plágio, gestão de dados, confidencialidade, direitos de patentes, conflitos de interesse, até conduta ética, bem-estar animal e aspectos sociais das pesquisas sendo feitas.() Todos esses fatores têm sobrecarregado a rotina diária de laboratórios experimentais, centros de pesquisa clínica e […]

Teste de respiração espontânea na previsão de falha de extubação em população pediátrica

Milena Siciliano Nascimento, Celso Moura Rebello, Luciana Assis Pires Andrade Vale, Érica Santos, Cristiane do Prado

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3913

RESUMO Objetivo Avaliar se o teste de respiração espontânea pode ser utilizado para predizer falha da extubação na população pediátrica. Métodos Estudo prospectivo, observacional, no qual foram avaliados todos os pacientes internados no Centro de Terapia Intensiva Pediátrica, no período de maio de 2011 a agosto de 2013, que utilizaram ventilação mecânica por mais de 24 horas e que foram extubados. Os pacientes foram classificados em dois grupos: Grupo Teste, que incluiu os pacientes extubados depois do teste de respiração […]

Ensaio clínico multicêntrico duplo-cego randomizado com um novo surfactante de origem porcina em prematuros com síndrome do desconforto respiratório

Celso Moura Rebello, Alexander Roberto Precioso, Renata Suman Mascaretti

DOI: 10.1590/S1679-45082014AO3095

ObjetivoComparar a eficácia e a segurança de um novo surfactante pulmonar de origem porcina, desenvolvido pelo Instituto Butantan, com os surfactantes de origem animal disponíveis no país, em relação à mortalidade neonatal e às principais complicações da prematuridade, em prematuros com peso de nascimento até 1500g e diagnóstico de síndrome do desconforto respiratório.MétodosRecém-nascidos com diagnóstico de síndrome do desconforto respiratório foram randomizados para receber surfactante Butantan (Grupo Butantan) ou um dos seguintes surfactantes: Survanta® ou Curosurf®. Os recém-nascidos que receberam […]

Influência do local de avaliação na mensuração da bilirrubina transcutânea

Cristiane Maria da Conceição, Maria Fernanda Pellegrino da Silva Dornaus, Maria Aparecida Portella, Alice D’Agostini Deutsch, Celso Moura Rebello

DOI: 10.1590/S1679-45082014AO2711

Objetivo:Verificar a influência do local da mensuração da bilirrubina transcutânea (fronte ou esterno) na reprodutibilidade dos resultados, quando comparada à bilirrubina plasmática.Métodos: Estudo tipo coorte incluindo 58 recém-nascidos a termo sem doença hemolítica. Foram realizadas determinações transcutâneas na fronte (a meia distância entre a raiz do couro cabeludo e a glabela, iniciando do lado esquerdo em direção ao direito, realizando determinações consecutivas, separadas por 1cm) e no esterno (cinco mensurações iniciando da fúrcula até o apêndice xifoide, com determinações consecutivas, […]

Momento do tratamento com surfactante em recém-nascidos de muito baixo peso

Celso Moura Rebello, Luciene Ferreira do Amaral Nacif, Alice D´Agostini Deutsch, Ângela Tavares Paes

DOI: 10.1590/s1679-45082010ao1758

RESUMOObjetivo:Relacionar o momento do tratamento com surfactante com as principais variáveis relacionadas à síndrome do desconforto respiratório do recém-nascido ou à prematuridade.Métodos:Coorte histórica, sendo analisados os dados de recém-nascidos de muito baixo peso (peso de nascimento < 1.500 g) admitidos no período entre 1º de janeiro de 2004 e 30 de junho de 2007, que necessitaram de tratamento com surfactante. Os recém-nascidos foram divididos em três grupos: precoce (tratamento até a segunda hora); intermediário (tratamento entre duas e seis horas); [...]