einstein (São Paulo). 01/jun/2016;14(2):152-7.

Avaliação de dor em idosos dementados: validação da versão brasileira da escala PACSLAC

Karol Bezerra Thé, Fernanda Martins Gazoni, Guilherme Liausu Cherpak, Isabel Clasen Lorenzet, Luciana Alves dos Santos, Edlene Maria Nardes, Fânia Cristina dos Santos

DOI: 10.1590/S1679-45082016AO3628

RESUMO
Objetivo
Validar o Pain Assessment Checklist for Seniors with Limited Ability to Communicate – Portuguese em idosos dementados e analisar as propriedades de suas medições.
Métodos
Foram avaliados 50 idosos dementados, residentes de uma casa de repouso e com capacidade de comunicação verbal limitada, quando expostos a situações potencialmente dolorosas. A ferramenta foi utilizada em dois momentos diferentes. Primeiro, foi aplicada por dois entrevistadores simultaneamente, e a intensidade da dor foi questionada com base na opinião do cuidador. Depois de 14 dias, sem intervenção de analgésico, a ferramenta foi aplicada novamente por um dos entrevistadores.
Resultados
A amostra teve predominância de mulheres, acima de 80 anos de idade, com demência de Alzheimer, apresentando dores musculoesqueléticas com intensidade moderada a grave. As propriedades psicométricas do instrumento demonstraram consistência interna adequada (coeficiente alfa de Cronbach de 0,827). A escala teve excelente reprodutibilidade, de acordo com o coeficiente de correlação intraclasse, e o instrumento demonstrou validade adequada.
Conclusão
O Pain Assessment Checklist for Seniors with Limited Ability to Communicate – Portuguese teve propriedades de medição adequadas para idosos com limitações de comunicação.

Avaliação de dor em idosos dementados: validação da versão brasileira da escala PACSLAC

78

Comentários