einstein (São Paulo). 01/set/2013;11(3):278-84.

Avaliação da aderência ao programa de reabilitação cardíaca em um hospital particular geral

Vanessa Mair, Ana Paula Breda, Marcos Eduardo Boquembuzo Nunes, Luciana Diniz Nagem Janot de Matos

DOI: 10.1590/S1679-45082013000300004

Objetivo:
Identificar os principais fatores que influenciaram o participante do nosso programa de reabilitação cardiovascular a faltar em suas terapias e correlacioná-los a idade, risco cardiovascular e motivação de nossa população.
MÉTODOS:
Realizou-se um estudo retrospectivo transversal com 42 pacientes (69,15±13,93 anos) participantes do programa de reabilitação cardíaca de um hospital geral particular de São Paulo, por meio da análise de duas escalas: a Escala de Barreiras para Reabilitação Cardíaca e a Escala de Disposição. Utilizou-se a correlação de Spearman para relacioná-las com absenteísmo, risco cardiovascular, idade e tempo de reabilitação cardíaca.
RESULTADOS:
A pontuação total da escala de barreiras foi 31±6 e o escore médio foi de 1,47±0,31. As principais barreiras foram relacionadas às subescalas “viagem/conflito de trabalho” e “problemas pessoais/familiares”. A porcentagem de absenteísmo foi 8,4% do número de sessões possíveis de serem realizadas no mês. As faltas e os cancelamentos apresentaram correlação positiva com o risco cardiovascular (p=0,01; r=0,4) e correlações negativas com Escala de Disposição inicial (p=0,03; r=-0,35) e idade (p=0,02; r=-0,35).
CONCLUSÃO:
“Viagem/conflito de trabalho”, “problemas pessoais/familiares” e baixa disposição inicial foram os principais fatores de absenteísmo em um programa de reabilitação cardíaca de um hospital geral particular de São Paulo.

Avaliação da aderência ao programa de reabilitação cardíaca em um hospital particular geral

57

Comentários