einstein (São Paulo). 02/maio/2019;17(2):eAO4527.

Attitudes Toward Lesbian and Gay Men Scale: validação em médicos brasileiros

Renata Corrêa-Ribeiro ORCID logo , Fabio Iglesias ORCID logo , Einstein Francisco Camargos ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4527

RESUMO

Objetivo:

Realizar a adaptação transcultural da versão original norte-americana do inventário Attitudes Toward Lesbian and Gay Men Scale (ATLG) sobre atitudes diante de lésbicas e homens gays para uso no Brasil, e avaliar as propriedades psicométricas em uma amostra de médicos heterossexuais brasileiros.

Métodos:

Foram realizadas as seguintes etapas de adaptação transcultural: tradução por dois avaliadores independentes, síntese das traduções, avaliação pela população-alvo para equivalência semântica, estudo piloto com 42 médicos, e processo final de elaboração do instrumento, envolvendo 224 médicos heterossexuais que exerciam medicina no Distrito Federal. Um convite contendo um link para o estudo foi enviado aos médicos por e-mail, por meio de redes sociais e de associações médicas. Os critérios de inclusão foram: ser médico atuante, exercer a atividade no Distrito Federal e se autodeclarar heterossexual (conforme estipulado na ATLG). Para evitar a inibição ou impedir a resposta, os critérios de exclusão não foram divulgados aos potenciais participantes. Questionários que preencheram critérios de exclusão foram removidos da amostra durante a análise de dados.

Resultados:

Análises fatoriais exploratórias e confirmatórias sugeriram um único fator como sendo o mais representativo para os dados, reunindo os 20 itens com fidedignidade elevada (coeficiente de confiabilidade composta = 0,948).

Conclusão:

A ATLG é um instrumento adequado para avaliar as atitudes dos médicos em relação aos homossexuais, com evidência de validade e confiabilidade na amostra analisada.

Attitudes Toward Lesbian and Gay Men Scale: validação em médicos brasileiros

Comentários