einstein (São Paulo). 28/jan/2019;17(1):eAO4337.

Associação entre capacidade respiratória, qualidade de vida e cognição em idosos

Rayana de Oliveira Costa ORCID logo , Raphael Mendes Ritti-Dias ORCID logo , Gabriel Grizzo Cucato ORCID logo , Maysa Seabra Cendoroglo ORCID logo , Fabio Nasri ORCID logo , Maria Luiza Monteiro Costa ORCID logo , Luciana Diniz Nagem Janot de Matos ORCID logo , Fábio Gazelato de Mello Franco ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4337

RESUMO

Objetivo

Investigar a associação entre capacidade respiratória, qualidade de vida e função cognitiva em idosos.

Métodos

A amostra incluiu 386 idosos (232 mulheres). A capacidade respiratória foi avaliada pela pressão expiratória máxima obtida no pico de fluxo expiratório. Com base nos resultados máximos de fluxo expiratório, os indivíduos foram classificados de acordo com o valor previsto para sexo, idade e estatura em capacidade respiratória normal (curva de fluxo expiratório de pico inferior a 80% e superior a 60%) ou capacidade respiratória reduzida (curva de fluxo expiratório de pico menor que 60%). O questionário World Health Organization Quality of Life e o Miniexame do Estado Mental foram utilizados para avaliar a qualidade de vida e a função cognitiva, respectivamente.

Resultados

Em comparação com mulheres idosas com capacidade respiratória normal, as pessoas com capacidade respiratória reduzida apresentaram escores mais baixos para o Miniexame do Estado Mental (p=0,048) e qualidade de vida (p=0,040). Nos homens, não foram observadas diferenças (p>0,05).

Conclusão

Capacidade respiratória reduzida foi associada à pior qualidade de vida e à função cognitiva em mulheres idosas. Essas associações não foram observadas em idosos do sexo masculino.

Associação entre capacidade respiratória, qualidade de vida e cognição em idosos

Comentários