einstein (São Paulo). 30/maio/2019;17(3):eAO4579.

Ultrassonografia na avaliação de ligamentos de cotovelo: estudo comparativo com imagem de ressonância magnética

Aureliano Torquato Brandão ORCID logo , Edson Amaro Junior ORCID logo , Miguel José Francisco Neto ORCID logo , Rubens Mitsuo Tanaka ORCID logo , Durval do Carmo Barros Santos ORCID logo , Frederico Celestino Miranda ORCID logo , Antonio Rahal Junior ORCID logo , Laercio Alberto Rosemberg ORCID logo

DOI: 10.31744/einstein_journal/2019AO4579

RESUMO

Objetivo:

Avaliar o desempenho da ultrassonografia na avaliação dos ligamentos do cotovelo, comparando os achados com ressonância magnética.

Métodos:

Estudo prospectivo unicêntrico envolvendo 30 pacientes, sem alterações articulares nos cotovelos. Dois ultrassonografistas experientes avaliaram ambos os cotovelos de cada um dos pacientes, com 60 avaliações cada médico e 120 avaliações no total. As imagens de ressonância magnética foram obtidas em aparelhos 3 Tesla. Dois radiologistas experientes avaliaram as imagens, com total de 120 exames. Cada examinador deu uma nota subjetiva, de zero a 5, para os ligamentos avaliados; zero correspondeu a ligamento não identificado, e 5 a ligamento visualizado integralmente. Foi considerado nível de significância de 5%. Para cada par de medidas obtidas, construíram-se dispersões e parcelas de Bland-Altman.

Resultados:

Todos os ligamentos foram identificados pelos examinadores de ultrassonografia, recebendo pontuação 4 ou 5, em relação à sua visibilidade, e foram identificados pelos examinadores de ressonância magnética, com pontuação 5. Foram considerados intactos e saudáveis pelos quatro examinadores. As comparações entre ultrassonografia e ressonância magnética na avaliação dos ligamentos do cotovelo não demostraram diferenças significativas.

Conclusão:

Quando realizada por examinadores experientes, a ultrassonografia pode ser considerada semelhante à ressonância magnética na avaliação de ligamentos do cotovelo.

Ultrassonografia na avaliação de ligamentos de cotovelo: estudo comparativo com imagem de ressonância magnética

Comentários