einstein (São Paulo). 01/mar/2015;13(1):149-52.

Transplante de fígado: história, resultados e perspectivas

Roberto Ferreira Meirelles Júnior, Paolo Salvalaggio, Marcelo Bruno de Rezende, Andréia Silva Evangelista, Bianca Della Guardia, Celso Eduardo Lourenço Matielo, Douglas Bastos Neves, Fernando Luis Pandullo, Guilherme Eduardo Gonçalves Felga, Jefferson André da Silva Alves, Lilian Amorim Curvelo, Luiz Gustavo Guedes Diaz, Marcela Balbo Rusi, Marcelo de Melo Viveiros, Marcio Dias de Almeida, Pamella Tung Pedroso, Rodrigo Andrey Rocco, Sérgio Paiva Meira Filho

DOI: 10.1590/S1679-45082015RW3164

Em 1958, Francis Moore descreveu a técnica do transplante de fígado em cães. Em 1963, Starzl e sua equipe realizaram o primeiro transplante de fígado. Nos primeiros cinco transplante de fígado, nenhum paciente sobreviveu mais que 23 dias. Até 1977, aproximadamente 200 transplante de fígado tinham sido realizados no mundo. Neste período, foi estabelecida a solução de problemas técnicos do transplante de fígado. Calne, em 1979, utilizou, pela primeira vez, a ciclosporina em dois pacientes submetidos ao transplante de fígado. Starzl e seus colaboradores relataram, já em 1989, que a sobrevida de 1.179 pacientes submetidos ao transplante de fígado em 1 e 5 anos foi, respectivamente, de 73 e 64%. Finalmente, em 1990, Starzl relatou o primeiro uso do novo imunossupressor tacrolimo em pacientes de transplante de fígado que apresentavam rejeição mesmo com o tratamento imunossupressor convencional. O transplante de fígado iniciou-se no Hospital Israelita Albert Einstein em 1990 e já foram realizados mais de 1.400 transplantes. Em 2013, foram realizados 102 transplantes de fígado de doadores falecidos. As principais indicações para o transplante foram carcinoma hepatocelular (38%), cirrose hepática secundária ao vírus C (33,3%) e cirrose alcoólica (19,6%). Destes, 36% dos transplantes apresentavam MELD biológico superior a 30. As sobrevidas do paciente e do enxerto no primeiro ano foram, respectivamente, 82,4 e 74,8%. Um dos maiores desafios da área do transplante de fígado é o número insuficiente de doadores para uma demanda crescente de candidatos ao procedimento. Dessa forma, destacamos que tópicos relacionados à seleção de doadores/receptores, alocação e preservação de órgãos devem contribuir para o aumento e a melhora dos resultados do transplante de fígado.

Transplante de fígado: história, resultados e perspectivas

381

Comentários