einstein (São Paulo). 01/dez/2012;10(4):442-8.

Redução de paradas cardiorrespiratórias por times de resposta rápida

Paulo David Scatena Gonçales, Joyce Assis Polessi, Lital Moro Bass, Gisele de Paula Dias Santos, Paula Kiyomi Onaga Yokota, Claudia Regina Laselva, Constantino Fernandes Junior, Miguel Cendoroglo Neto, Marcus Estanislao, Vanessa Teich, Camila Sardenberg

DOI: 10.1590/S1679-45082012000400009

Objetivo:
Avaliar o impacto da implementação de um time de resposta rápida na incidência de paradas cardiorrespiratórias, na mortalidade associada à parada cardiorrespiratória e na mortalidade hospitalar em um hospital geral, de alta complexidade.
MÉTODOS:
Análise retrospectiva dos eventos de paradas cardiorrespiratórias e mortalidade hospitalar, antes e depois da implementação de um time de resposta rápida. O período analisado compreendeu 19 meses antes da intervenção desse time (agosto de 2005 a fevereiro de 2007) e 19 meses após sua intervenção (março 2007 a setembro 2008).
RESULTADOS:
No período pré-intervenção, observaram-se 3,54 eventos de parada cardiorrespiratória/1.000 altas e 16,27 mortes/1.000 altas. Após a intervenção, observou-se redução no número de paradas cardiorrespiratórias e na taxa de mortalidade hospitalar: respectivamente 1,69 eventos de parada cardiorrespiratória/1.000 altas (p<0,001) e 14,34 mortes/1.000 altas (p=0,029).
CONCLUSÃO:
A implementação do time de resposta rápida, pode ter trazido uma redução significativa no número de paradas cardiorrespiratórias. Estimou-se que, no período de março de 2007 a setembro de 2008, a intervenção provavelmente salvou 67 vidas.

Redução de paradas cardiorrespiratórias por times de resposta rápida

178

Comentários