einstein (São Paulo). 01/dez/2013;11(4):435-8.

Paullinia cupana para o controle de fogachos em pacientes com câncer de mama: um estudo piloto

Saulo Silva Oliveira, Adriana Braz del Giglio, Tatiana Goberstein Lerner, Rebecca Melo Zanellato, Livia Tiemi, Lucas Reifur, Patrícia Xavier Santi, Auro del Giglio

DOI: 10.1590/S1679-45082013000400005

Objetivo:
Avaliar se a Paullinia cupana diminui o número e a gravidade dos fogachos em mulheres após diagnóstico de câncer de mama.
MÉTODOS:
Estudo piloto prospectivo fase II realizado com mulheres que sobreviveram ao câncer de mama, que completaram o tratamento pelo menos 3 meses antes e que apresentavam ao menos 14 episódios de fogachos por semana. Utilizando o desenho de Simon para que a primeira etapa fosse considerada positiva, ao menos 9 de 15 mulheres deveriam ter a gravidade dos fogachos diminuída em pelo menos 50%. As pacientes receberam 50mg do extrato seco de Guaraná oralmente 2 vezes por dia por 6 semanas. Foram avaliadas, a gravidade e a frequência dos fogachos.
RESULTADOS:
Dezoito pacientes iniciaram o tratamento com Paullinia cupana e 15 completaram o estudo. Três pacientes deixaram o estudo imediatamente após iniciarem o tratamento em razão de dificuldade na participação e não adesão. Das 15 pacientes que completaram o estudo, 10 obtiveram diminuição de mais de 50% dos índices de gravidade de fogachos. Durante as 6 semanas de tratamento, diminuições estatisticamente significativas foram observadas tanto no número de fogachos (p=0,0009), quanto nos índices de gravidade (p<0,0001). Paullinia cupana foi bem tolerada, e não houve relato de toxicidade como causa de saída do estudo.
CONCLUSÕES:
Paullinia cupana pareceu promissora para o controle de fogachos. Estudos mais extensivos são necessários.

Paullinia cupana para o controle de fogachos em pacientes com câncer de mama: um estudo piloto

42

Comentários