einstein (São Paulo). 15/jun/2018;16(2):eCE4398.

Gestão de pessoas: do processo intuitivo ao People Analytics

Quevellin Alves dos Santos

DOI: 10.1590/S1679-45082018CE4398

Caro editor,

Francis Bacon, em 1620, argumentava que o conhecimento científico não deveria ser baseado apenas em hipóteses intuitivas, eventualmente limitadas por estabelecer uma premissa antes de um experimento, restringindo, então, o raciocínio, de forma a corresponder a esta premissa. Atualmente o Big Data desencadeou mudanças em paradigmas passados. As novas pesquisas estão fundamentando-se em uma rede maciça de dados e não apenas em intuições.() Quando utilizado na gestão de pessoas, o Big Data tem sido denominado “People Analytics”, consistindo em um processo de levantamento e análise de um grande volume de dados dos trabalhadores de uma organização, para subsidiar o processo decisório relacionado à gestão de pessoas.() Seus benefícios estão em promover uma gestão de pessoas mais estratégica e fundamentada em dados objetivos. O perfil dos trabalhadores da área da saúde requer características pessoais e profissionais em consonância com o desenvolvimento atual da saúde, que caminha para inovação tecnológica e prática baseada em evidências.() Portanto, a transformação é organizacional e tecnológica, e, por trazer resultados eficazes para as empresas, acaba sendo muito mais extensa do que muitas organizações permeiam.()

[…]
Gestão de pessoas: do processo intuitivo ao People Analytics

Comentários