einstein (São Paulo). 11/set/2018;16(3):eAO4283.

Fatores associados às internações por hipertensão arterial

Rosimery Cruz de Oliveira Dantas ORCID logo , João Paulo Teixeira da Silva ORCID logo , Davidson Cruz de Oliveira Dantas ORCID logo , Ângelo Giuseppe Roncalli ORCID logo

DOI: 10.1590/S1679-45082018AO4283

RESUMO

Objetivo:

Estudar a temporalidade das internações por hipertensão arterial e seus fatores associados.

Métodos:

Estudo ecológico com dados secundários referentes às internações hospitalares por hipertensão arterial essencial – CID 10, do Sistema de Informação Hospitalares, do Sistema de Informação de Mortalidade e do Sistema de Informação da Atenção Básica, no período de 2010 a 2015. Análise descritiva com média, proporção e regressão linear.

Resultados:

Foram registradas 493.299 internações por hipertensão arterial sistêmica de 2010 a 2015, com queda progressiva anual média de −7,76% e de −24,21% nos custos. Dentre as internações, 59,2% ocorreram em mulheres, 60,2% na raça não branca e 54,7% em maiores de 60 anos. A média de permanência foi de 4,2 dias e a do custo por internação, de R$307,60. As variáveis significativas da regressão linear múltipla foram o percentual de internações por condições sensíveis à atenção primária, a renda per capita e o Indice de Desenvolvimento Humano Municipal.

Conclusão:

As internações por hipertensão arterial sistémica impactam nos percentuais de internações por condições sensíveis à atenção primária. Intensificar as ações da Atenção Primária, sensibilizar profissionais para um cuidado integral e investir no desenvolvimento social são imprescindíveis para transformar a realidade da hipertensão no tocante ao seu controle e a suas complicações.

Fatores associados às internações por hipertensão arterial

Comentários