einstein (São Paulo). 10/set/2018;16(3):eAO4206.

Análise do tecido muscular de ratos Wistar submetidos ao modelo de compressão do nervo isquiático e à crioterapia

Jhenifer Karvat ORCID logo , Camila Mayumi Martin Kakihata ORCID logo , Lizyana Vieira ORCID logo , José Luis da Conceição Silva ORCID logo , Lucinéia de Fátima Chasko Ribeiro ORCID logo , Rose Meire Costa Brancalhão ORCID logo , Gladson Ricardo Flor Bertolini ORCID logo

DOI: 10.1590/S1679-45082018AO4206

RESUMO

Objetivo:

Avaliar os efeitos da compressão nervosa do isquiático direito e da crioterapia no tecido muscular.

Métodos:

Foram utilizados 42 ratos Wistar machos, subdivididos nos Grupos Controle, Lesão 3, Lesão 8 e Lesão 15, submetidos a compressão nervosa e eutanasiados, respectivamente, no 3°, 8° e 15° dias pós-operatório; Lesão Crioterapia 3, tratado com crioterapia, por imersão durante 20 minutos, por 1 dia, e eutanasiados no 3° dia pós-operatório; e Lesão Crioterapia 8 e Lesão Crioterapia 15, tratados durante 6 dias e eutanasiados no 8° e 15° dias pós-operatório. A avaliação funcional foi realizada pela força de preensão do membro pélvico direito. Os músculos tibiais anteriores direitos foram avaliados quanto a massa, menor diâmetro e área de secção transversa. Em Lesão Crioterapia 8 e Lesão Crioterapia 15, foi dosada a hidroxiprolina nos sóleos direitos.

Resultados:

Na preensão, houve diferença significativa nos Grupos Lesão quando comparados ao Grupo Controle (p<0,05). No menor diâmetro, o Grupo Controle foi maior que Lesão 8 (p=0,0094), Lesão 15 (p = 0,002) e Lesão Crioterapia 15 (p<0,001). Na comparação entre os grupos com eutanásia no mesmo pós-operatório, houve diferença significativa (p=0,0363) no 8° pós-operatório, sendo Lesão Crioterapia maior que Lesão. Na área das fibras, o Grupo Controle também foi maior que Lesão 8 (p=0,0018), Lesão 15 (p<0,001) e Lesão Crioterapia 15 (p<0,001). Na hidroxiprolina, não houve diferença significativa entre os grupos.

Conclusão:

A lesão nervosa resultou na diminuição da força e em trofismo muscular, e a crioterapia retardou a hipotrofia, porém este efeito não se manteve após o tratamento cessar.

Análise do tecido muscular de ratos Wistar submetidos ao modelo de compressão do nervo isquiático e à crioterapia

Comentários