einstein (São Paulo). 01/mar/2010;8(1):5-9.

Estudo piloto em neonatos utilizando o laser de baixa intensidade no pós-operatório imediato de mielomeningocele

Nathali Cordeiro Pinto, Fernando Campos Gomes Pinto, Eduardo Joaquim Lopes Alho, Elisabeth Matheus Yoshimura, Vera Lucia Jornada Krebs, Manoel Jacobsen Teixeira, Maria Cristina Chavantes

DOI: 10.1590/s1679-45082010ao1441

RESUMO
Objetivo:
Analisar o comportamento da reparação tecidual de incisão cirúrgica corretiva em neonatos submetidos ao laser de baixa intensidade, auxiliando a redução de incidência de deiscência pós-operatória de correção cirúrgica de mielomeningocele realizada imediatamente após o nascimento.
Métodos:
Estudo piloto, prospectivo, com 13 pacientes operados ao nascimento de mielomeningocele e submetidos ao laser de baixa intensidade como adjuvante. Foi aplicado, ao longo da incisão cirúrgica, o laser de diodo C.W., λ = 685 nm, p = 21 mW, com E = 0,19 J por ponto, totalizando valores de energia entregue por paciente entre 4 e 10 J, de acordo com a área da cicatriz cirúrgica, e comparando com os resultados obtidos previamente de 23 pacientes operados sem a terapia com o laser (Grupo B).
Resultados:
Este estudo revelou significativa redução de deiscências no pós-operatório de neonatos, quando submetidos ao laser de baixa intensidade comparados ao controle (7,69 versus 17,39%, respectivamente), evidenciando ser um método de tratamento eficaz, seguro e não-invasivo..
Conclusão:
Esta nova proposta terapêutica adjuvante com o laser de baixa intensidade auxiliou na reparação tecidual da ferida operatória, evitando morbidades, além de diminuir o tempo de internação, sinalizando possível redução de custos tanto para os pacientes quanto para a instituição.

Estudo piloto em neonatos utilizando o laser de baixa intensidade no pós-operatório imediato de mielomeningocele

65

Comentários