einstein (São Paulo). 01/mar/2010;8(1):10-7.

A avaliação do comportamento do pré-escolar recém-admitido na unidade de pediatria e o uso do brinquedo terapêutico

Mariana Coelho Campos, Karen Cristina S. Rodrigues, Marcia Carla Morete Pinto

DOI: 10.1590/s1679-45082010ao1462

RESUMO
Objetivo:
Avaliar o comportamento da criança antes e depois da sessão de brinquedo terapêutico.
Métodos:
Este estudo é de natureza quantitativa e descritiva, e foi realizado em um hospital de porte extra no município de Santos, Estado de São Paulo. Foi desenvolvido com 30 crianças pré-escolares recém-admitidas na unidade pediátrica, às quais foi aplicada uma escala comportamental antes e depois da sessão de brinquedo terapêutico. Essa escala abrange seis categorias: movimentar, olhar, expressar emoções, verbalizar, brincar e a última, na qual a criança não responde ao estímulo ou à solicitação. Cada categoria apresenta três níveis (1, 2 e 3) e quanto menor o nível, pior a interação da criança nesse novo momento.
Resultados:
Antes da sessão de brinquedo terapêutico, as crianças não mostravam interesse, foram encaixadas dentro dos níveis 1 e 2: movimentar parte do corpo e expressar emoções, como seriedade, dirigir o olhar a um local rapidamente como se estivessem esperando algo. Depois da sessão de brinquedo terapêutico, as crianças migraram do nível 1 para o nível 3, no qual mudavam de posição, deslocavam-se com uma finalidade, observavam atentamente o que viam e expressavam emoções, como alegria.
Conclusões:
A criança interage bem com o brinquedo, dramatizando situações domésticas e hospitalares, manifestando sentimentos de raiva e amor. Observou-se também que a sessão de brinquedo terapêutico propicia melhor interação da criança com esse novo momento que está vivendo, aceitando mais facilmente o tratamento e enxergando de forma menos agressiva e dolorosa sua hospitalização.

A avaliação do comportamento do pré-escolar recém-admitido na unidade de pediatria e o uso do brinquedo terapêutico

67

Comentários