einstein (São Paulo). 01/set/2011;9(3):294-301.

Desempenho preditivo de 12 equações para estimativa da taxa de filtração glomerular em pacientes gravemente obesos

Ary Serpa Neto, Felipe Martin Bianco Rossi, Rodrigo Dal Moro Amarante, Marçal Rossi

DOI: 10.1590/s1679-45082011ao1922

RESUMO
Objetivo:
Considerando que a fórmula de Cockcroft-Gault e a equação de modificação da dieta em doença renal são amplamente utilizadas na prática clínica para estimar a taxa de filtração glomerular, de aparente baixa acurácia em pacientes obesos, o presente estudo procura avaliar o desempenho preditivo de 12 equações utilizadas para estimar a taxa de filtração glomerular em pacientes obesos.
Métodos:
Estudo transversal, retrospectivo, realizado entre 2007 e 2008 em uma universidade, com 140 pacientes com obesidade grave (índice de massa corpórea médio de 44 ± 4,4 kg/m2). A taxa de filtração glomerular foi determinada por meio de amostras de urina de 24 horas. Os pacientes foram classificados em um ou mais dos quatro subgrupos: intolerância à glicose (n = 43), diabéticos (n = 24), síndrome metabólica (n = 76) e/ou hipertensos (n = 66). Viés, precisão e acurácia foram usados para avaliar o desempenho preditivo de cada equação no grupo como um todo e nos subgrupos.
Resultados:
A fórmula de Cockcroft-Gault e a equação de modificação da dieta em doença renal são imprecisas em pacientes gravemente obesos (precisão de 40,9 e 33,4, respectivamente). A equação de Sobh não apresentou viés no grupo geral e em dois subgrupos. As equações de Salazar-Corcoran e Sobh não apresentaram viés em todo o grupo (viés: −5,2, intervalo de confiança (IC) 95% = −11,4, 1,0 e 6,2; IC95% = −0,3, 12.7, respectivamente). Todas as outras equações foram imprecisas no grupo como um todo..
Conclusão:
Das equações estudadas, a de Sobh e a de Salazar-Corcoran parecem ser as melhores para estimar a taxa de filtração glomerular em pacientes gravemente obesos analisados no estudo.

Desempenho preditivo de 12 equações para estimativa da taxa de filtração glomerular em pacientes gravemente obesos

66

Comentários