einstein (São Paulo). 01/set/2016;14(3):443-8.

Avanços na ultrassonografia pulmonar

Miguel José Francisco Neto, Antonio Rahal Junior, Fabio Augusto Cardillo Vieira, Paulo Savoia Dias da Silva, Marcelo Buarque de Gusmão Funari

DOI: 10.1590/S1679-45082016MD3557

RESUMO
O exame ultrassonográfico do tórax avançou nas últimas décadas, sendo utilizado para o diagnóstico de inúmeras condições patológicas, e fornecendo informações qualitativas e quantitativas. Os pulmões aerados e o arcabouço ósseo do tórax representam barreira sonora para o estudo ultrassonográfico, gerando artefatos que, bem conhecidos, são utilizados como ferramentas diagnósticas. Eco pleural normal, linhas A, linhas B, linhas C, linhas E e Z (conhecidas como falsas linhas B) são artefatos com características peculiares. Os padrões de consolidação e de pneumotórax também são bem estabelecidos. Alguns protocolos têm sido utilizados no manuseio dos pacientes: Blue Protocol, Protocolo FALLS e Protocolo C.A.U.S.E são exemplos de três propostas que, por meio da associação entre os artefatos, permitem sugerir diagnósticos precisos. A ultrassonografia de tórax, aliada à radiografia de tórax, muitas vezes é suficiente para o diagnóstico e a conduta das afecções pulmonares e da parede torácica. Trata-se de ferramenta diagnóstica de grande valia para médicos radiologistas, emergencistas e intensivistas.

Avanços na ultrassonografia pulmonar

197

Comentários