einstein (São Paulo). 19/abr/2018;16(1):eAO4143.

Associação entre hipovitaminose D e frequência de exacerbações pulmonares em crianças e adolescentes com fibrose cística

Renata Ongaratto, Katiana Murieli da Rosa, Juliana Cristina Eloi, Matias Epifanio, Paulo Marostica, Leonardo Araújo Pinto

DOI: 10.1590/S1679-45082018AO4143

RESUMO

Objetivo

Avaliar a associação entre níveis de vitamina D e estado nutricional, função pulmonar e exacerbações pulmonares em crianças e adolescentes com fibrose cística.

Métodos

Os níveis de 25-hidroxivitamina D (25(OH)D) de 37 crianças e adolescentes foram avaliados retrospectivamente. Função pulmonar, índice de massa corporal, altura para a idade, e episódios de exacerbações pulmonares foram associados aos níveis de vitamina D divididos em dois grupos: suficiente (≥30ng/mL) e hipovitaminose (<30ng/mL).

Resultados

Hipovitaminose D (25(OH)D <30ng/mL) foi observada em 54% dos pacientes. O nível médio de 25(OH)D foi de 30,53±12,14ng/mL. A função pulmonar e o estado nutricional não foram associados aos níveis de vitamina D. As exacerbações pulmonares durante um período de 2 anos (p = 0,007) e do período de medição até o final do período de seguimento (p=0,002) foram significativamente associadas aos níveis de vitamina D.

Conclusão

A hipovitaminose D esteve associada a maiores taxas de exacerbações pulmonares nesta amostra de crianças e adolescentes com fibrose cística. A hipovitaminose D deve ser mais estudada como marcador da gravidade da doença na fibrose cística. Outros estudos prospectivos e randomizados são necessários para investigar a relação causal desta associação.

Associação entre hipovitaminose D e frequência de exacerbações pulmonares em crianças e adolescentes com fibrose cística

Comentários