einstein (São Paulo). 01/abr/2017;15(2):130-5.

Adição ao trabalho e qualidade de vida: um estudo com médicos

Walter Fernandes de Azevedo, Lígia Andrade da Silva Telles Mathias

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3960

RESUMO

Objetivo

Avaliar a qualidade de vida de médicos e investigar em que medida a adição ao trabalho a afeta.

Métodos

Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e transversal, realizado com 1.110 médicos. Para coleta de dados, optou-se por utilizar um questionário contendo informações sociodemográficas, bem como aplicar o instrumento World Health Organization Quality of Life-BREF e a Escala de Adição ao Trabalho.

Resultados

Os médicos, em sua maioria, apresentaram alta qualidade de vida. Os participantes do sexo feminino tiveram menor qualidade de vida em relação aos homens nos domínios psicológico, meio ambiente e geral (p<0,05). A qualidade de vida correlacionou-se negativamente com o número de plantões (p<0,005), e quanto maior a adição ao trabalho, menor a qualidade de vida.

Conclusão

A pesquisa permitiu o conhecimento das implicações da adição ao trabalho sobre a qualidade de vida. Novos estudos são necessários para subsidiar a elaboração de estratégias que melhorem a saúde e a qualidade de vida do profissional médico.

Adição ao trabalho e qualidade de vida: um estudo com médicos

Comentários