einstein (São Paulo). 01/dez/2012;10(4):519-23.

Relação entre privação de sono e ansiedade na pesquisa básica

Gabriel Natan Pires, Sergio Tufik, Monica Levy Andersen

DOI: 10.1590/S1679-45082012000400022

A privação de sono é uma condição cada vez mais observada na sociedade moderna, resultando em diversos efeitos neurocomportamentais. Um dos principais efeitos comportamentais dessa condição é a proeminência de estados ansiosos. Diversos estudos têm demonstrado, com sucesso, a relação entre privação de sono e ansiedade na pesquisa clínica. Quanto à experimentação básica, diversos modelos têm sido eficientemente empregados na avaliação do comportamento do tipo ansioso. Todavia, a mesma eficácia não é encontrada nos estudos básicos, que abordam a relação entre privação de sono paradoxal e ansiedade. A maioria dos estudos que aborda essa relação em modelos animais não apresenta resultados passíveis de extrapolação à prática clínica, e isso se deve basicamente a dois motivos: inconsistência entre resultados e falta de replicabilidade em relação a estudos clínicos. Ressalta-se que o uso de modelo animais é extremamente útil, sobretudo em condições experimentais que não podem ser ética ou plausivelmente abordadas em seres humanos. Desse modo, o presente ensaio teórico busca avaliar, de modo sucinto e crítico, a aplicabilidade dos modelos animais de privação de sono, sob uma perspectiva translacional.

Relação entre privação de sono e ansiedade na pesquisa básica

124

Comentários