einstein (São Paulo). 01/dez/2013;11(4):472-8.

O nível sérico de Fas solúvel é preditor da necessidade de transfusão de hemácias em pacientes gravemente enfermos

Ilana Levy Korkes, Gustavo Schvartsman, Ilson Jorge Lizuka, Beata Marie Quinto, Maria Aparecida Dalboni, Maria Eugênia Canziani, Sergio Antonio Draibe, Virgilio Gonçalves Pereira, Bento Fortunato Cardoso dos Santos, Julio Cesar Martins Monte, Marcelino de Souza Durão Junior, Marcelo Costa Batista, Oscar Fernando Pavão dos Santos, Miguel Angelo de Góes Junior, Miguel Cendoroglo Neto

DOI: 10.1590/S1679-45082013000400012

Objetivo:
Investigar a relação entre a transfusão de hemácias e os níveis séricos de Fas solúvel, eritropoietina e citocinas inflamatórias em pacientes gravemente enfermos, com e sem insuficiência renal aguda.
MÉTODOS:
Os seguintes grupos foram estudados: pacientes gravemente enfermos com insuficiência renal aguda (n=30) e sem insuficiência renal aguda (n=13), pacientes portadores de doença renal crônica terminal em hemodiálise (n=25) e indivíduos saudáveis (n=21). Os níveis séricos de Fas solúvel, eritropoietina, interleucina 6, interleucina 10 e ferro, além da concentração de hemoglobina e de hematócrito, foram analisados em todos os grupos. A associação entre tais variáveis foram estudadas nos pacientes gravemente enfermos.
RESULTADOS:
Os níveis séricos de eritropoietina mostraram-se mais elevados nos pacientes gravemente enfermos do que nos dos demais grupos. Concentrações mais baixas de hemoglobina foram documentadas nos pacientes com insuficiência renal aguda em relação aos demais. Níveis séricos mais elevados de Fas solúvel foram observados nos pacientes com insuficiência renal aguda e doença renal crônica terminal. Pacientes gravemente enfermos transfundidos apresentaram níveis séricos mais elevados de Fas solúvel (5.906±2.047 e 1.920±1.060; p<0,001), interleucina 6 (518±537 e 255±502; p=0,02), interleucina 10 (35,8±30,7 e 18,5±10,9; p=0,02) e ferro, além de maior mortalidade em 28 dias. Os níveis séricos de Fas solúvel mostraram-se independentemente associados ao número de transfusões (p=0,02). O nível sérico de Fas solúvel foi um preditor independente da necessidade de transfusão de hemácias em pacientes gravemente enfermos (p=0,01).
CONCLUSÃO:
O nível sérico de Fas solúvel é um preditor independente da necessidade de transfusão de hemácias em pacientes gravemente enfermos, com ou sem insuficiência renal aguda. Mais estudos clínicos e laboratoriais são necessários para confirmar tal resultado.

O nível sérico de Fas solúvel é preditor da necessidade de transfusão de hemácias em pacientes gravemente enfermos

105

Comentários