einstein (São Paulo). 01/set/2015;13(3):381-7.

Medida prévia da pressão arterial e fatores associados em adolescentes estudantes

Marina Gabriella Pereira de Andrada Magalhães, Breno Quintella Farah, Mauro Virgilio Gomes de Barros, Raphael Mendes Ritti-Dias

DOI: 10.1590/S1679-45082015AO3358

Objetivo
Identificar a prevalência de medida prévia da pressão arterial no último ano e analisar alguns fatores associados a essa medida em adolescentes estudantes.
Métodos
Estudo transversal realizado com 6.077 adolescentes entre 14 e 19 anos. Foram coletados os dados demográficos (sexo, faixa etária, turno de estudo, região de residência, trabalho, cor da pele e situação econômica) e históricos da medida da pressão arterial nos últimos 12 meses, além do local em que essa medida foi realizada e o valor de pressão arterial. Foi utilizada análise descritiva e de regressão logística para avaliar as associações entre a medida prévia da pressão arterial e os dados demográficos e a pressão arterial elevada.
Resultados
No presente estudo, 56,8% responderam não ter medido a pressão arterial nos últimos 12 meses. O posto de saúde e a consulta médica foram os lugares mais mencionados (28,3% e 36,9%, respectivamente) em que foi realizada a medida da pressão arterial. Ser do sexo masculino (odds ratio de 1,64; IC95%: 1,46-1,84), ter idade entre 14 e 16 anos (odds ratio de 1,12; IC95%:1,01-1,25) e apresentar situação econômica desfavorável (odds ratio de 1,48; IC95%: 1,32-1,67) foram associados positivamente a não medição da pressão arterial. Trabalhar foi fator de proteção para não medição da pressão arterial (odds ratio de 0,84; IC95%: 0,73-0,97).
Conclusão
Elevado número de adolescentes não mediu pressão arterial nos últimos 12 meses. Rapazes, adolescentes com idade entre 14 e 16 anos e com situação econômica desfavorável apresentaram maior chance de não medir a pressão arterial.

Medida prévia da pressão arterial e fatores associados em adolescentes estudantes

41

Comentários