einstein (São Paulo). 01/jan/2017;15(1):24-8.

Efeitos da suplementação de zinco na fadiga e na qualidade de vida de pacientes com câncer colorretal

Sofia Miranda de Figueiredo Ribeiro, Camila Bitu Moreno Braga, Fernanda Maris Peria, Edson Zangiacomi Martinez, José Joaquim Ribeiro da Rocha, Selma Freire Carvalho Cunha

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3830

RESUMO

Objetivo

Investigar os efeitos da suplementação oral de zinco sobre a intensidade da fadiga e a qualidade de vida de pacientes durante a quimioterapia para neoplasia colorretal.

Métodos

Estudo prospectivo, randomizado, controlado e duplo-cego conduzido em um hospital universitário público terciário, com 24 pacientes em regime quimioterápico para adenocarcinoma colorretal. Os pacientes receberam cápsulas de zinco 35mg (Grupo Zinco, n=10) ou placebo (Grupo Placebo, n=14) por via oral, duas vezes ao dia (70mg/dia), durante 16 semanas, desde o período pós-operatório imediato até o quarto ciclo de quimioterapia. Todos os pacientes receberam quimioterapia por aproximadamente 45 dias após a ressecção cirúrgica do tumor. A escala Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue foi preenchida antes de cada um dos quatro ciclos de quimioterapia. Utilizou-se o modelo de regressão linear misto para dados longitudinais para análise estatística.

Resultados

Os escores de qualidade de vida e de fadiga foram semelhantes entre os grupos de estudo durante os ciclos de quimioterapia. O Grupo Placebo apresentou piora da qualidade de vida e da fadiga entre o primeiro e o quarto ciclos de quimioterapia, mas não houve mudança nos escores de qualidade de vida e fadiga no Grupo Zinco.

Conclusão

A suplementação com zinco previne a fadiga e preserva a qualidade de vida de pacientes em quimioterapia para neoplasia colorretal.

Efeitos da suplementação de zinco na fadiga e na qualidade de vida de pacientes com câncer colorretal

Comentários