einstein (São Paulo). 01/dez/2014;12(4):447-51.

Comparação entre os testes de caminhada de 6 minutos realizados em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica em diferentes altitudes

Selma Denis Squassoni, Nadine Cristina Machado, Mônica Silveira Lapa, Priscila Kessar Cordoni, Luciene Costa Bortolassi, Juliana Nascimento de Oliveira, Cecilia Melo Rosa Tavares, Elie Fiss

DOI: 10.1590/S1679-45082014AO3139

Objetivo
Avaliar a influência da altitude no teste de caminhada de 6 minutos em pacientes com doença pulmonar moderada a grave.
Métodos
Vinte e nove pacientes realizaram o teste de caminhada de 6 minutos em um ambulatório de reabilitação pulmonar, na cidade de Santo André (acima do nível do mar), em São Paulo, e na praia da Enseada no Guarujá (ao nível do mar), também em São Paulo. Destes, oito pacientes realizaram tanto na areia batida como no asfalto, para avaliar a existência de alguma alteração no desempenho durante o teste. Dados como frequência cardíaca, saturação de oxigênio, distância do teste e escala de Borg foram comparados.
Resultados
Não encontramos diferença estatística em relação à saturação de oxigênio em repouso antes do início do teste de caminhada em Santo André 94,67±2,26% e ao nível do mar 95,56±2% (p=0,71). A saturação mínima obtida durante os testes foi de 87,27±6,54%, em Santo André, e de 89,10±5,41%, no Guarujá (p=0,098). Não houve diferença na distância percorrida e nos diferentes tipos de piso; a distância na areia foi de 387,75±5,02m e 375,00±40,88m no asfalto (p=0,654). Quanto à saturação durante a caminhada, a oximetria de pulso na areia foi de 95,12±1,80% e no asfalto foi de 96,87±1,64% (p=1,05), ou seja, o teste foi reprodutível em ambos os solos.
Conclusão
A altitude não influenciou o desempenho do teste de caminhada realizado por pacientes com doença pulmonar moderada a grave, sendo reprodutível tanto acima quanto ao nível do mar, mesmo realizado em areia batida ou no asfalto.

Comparação entre os testes de caminhada de 6 minutos realizados em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica em diferentes altitudes

47

Comentários