einstein (São Paulo). 01/jun/2015;13(2):189-95.

Caracterização de uma coorte ambulatorial de pacientes com infecção por vírus da hepatite B crônica

Danyenne Rejane de Assis, Simone de Barros Tenore, João Renato Rebello Pinho, David Salomão Lewi, Paulo Roberto Abrão Ferreira

DOI: 10.1590/S1679-45082015AO3269

RESUMO
Objetivo:
Caracterizar uma coorte de pacientes com hepatite B crônica, segundo parâmetros iniciais e evolutivos.
Métodos:
Análise retrospectiva e descritiva dos dados clínicos e laboratoriais de portadores crônicos adultos do HBsAg, sem HIV, virgens de tratamento, com ao menos duas consultas ambulatoriais entre fevereiro de 2006 a novembro de 2012. Empregaram-se os testes exato de Fisher, χ², Wilcoxon, Spearman, Kappa e comparações múltiplas, o nível de significância estatística adotado foi de 5% e intervalo de confiança de 95%.
Resultados:
Foram incluídos 175 pacientes com média de idade de 42,95±12,53 anos, 93 (53,1%) do sexo masculino, 152 (86,9%) não reagentes para o antígeno e (HBeAg), 3 (1,7%) coinfectados com hepatite C, 15 (8,6%) cirróticos e 2 (1,1%) com carcinoma hepatocelular. Predominou o genótipo A. Constataram-se hepatite ativa em 66 pacientes (37,7%), imunotolerância em 6 (3,4%), estado de portador inativo em 38 (21,7%), exacerbações e/ou escapes virais em 16 (9,1%). Em 32 (18,3%), havia DNA viral persistentemente elevado e alanina aminotransferase normal; em 17 (9,7%), carga viral constantemente baixa e alanina aminotransferase alterada. Se fossem considerados apenas transaminases e DNA viral iniciais, 15 casos de hepatite ativa não teriam sido evidenciados. Fibrose avançada foi mais prevalente em HBeAg reagentes e associou-se direta e significativamente ao DNA do vírus da hepatite, idade e transaminases..
Conclusão:
Grande parte dos pacientes apresentou hepatite ativa. Porém, aproximadamente um quarto (todos pertencentes ao grupo HBeAg não reagente) foram identificados somente em função da análise conjunta das mensurações sequenciais de DNA do vírus da hepatite e transaminases, por vezes aliada a dados histológicos, após seguimento.

Caracterização de uma coorte ambulatorial de pacientes com infecção por vírus da hepatite B crônica

49

Comentários