einstein (São Paulo). 01/mar/2013;11(1):63-70.

Avaliação do vínculo mãe-filho e saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual

Custódia Virgínia de Nóbrega Mäder, Vera Lúcia de Alencar Monteiro, Patricia Vieira Spada, Fernando José de Nóbrega

DOI: 10.1590/S1679-45082013000100012

Objetivo:
Conhecer e avaliar o vínculo mãe-filho e a saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual.
MÉTODOS:
Participaram 74 mães de crianças de até 7 anos com deficiência intelectual. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas. Os instrumentos utilizados foram o Protocolo de Avaliação do Vínculo Mãe-Filho e o Self-Report Questionnaire. Para estatística, foram utilizados os testes de χ² e t de Student. Fixou-se em 5% o nível de rejeição da hipótese de nulidade.
RESULTADOS:
Não houve diferença significativa entre as médias das idades maternas, entre vínculo e escolaridade e nem entre tempo de união e condição social. A porcentagem de mães com vínculo fraco na condição socioeconômica baixa foi de 38,7% e na condição socioeconômica alta de 68,8%.
CONCLUSÃO:
A ocorrência de fraco vínculo está associada ao Self-Report Questionnaire e às condições socioculturais. Ou seja, mães com alteração no Self-Report Questionnaire têm maior probabilidade de desenvolver distúrbios mentais e maior chance de apresentar fraco vínculo com o filho, o mesmo ocorrendo com as mães nas condições sociais mais privilegiadas.

Avaliação do vínculo mãe-filho e saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual

36

Comentários