einstein (São Paulo). 01/jul/2017;15(3):256-61.

Análise de IgA do colostro contra bactérias envolvidas em infecções neonatais

Elizabeth Moreira Dias, Denise Bertulucci Rocha Rodrigues, Vinícius Rangel Geraldo-Martins, Ruchele Dias Nogueira

DOI: 10.1590/S1679-45082017AO3958

RESUMO

Objetivo

Descrever e comparar a especificidade de anticorpos IgA de amostras de colostro contra extratos bacterianos de Klebsiella pneumoniae , Staphylococcus aureus , Escherichia coli e Salmonella enteritidis .

Métodos

As amostras de colostro foram coletadas assepticamente nas primeiras 12 horas após o nascimento por cesariana. A especificidade de IgA contra extratos de bactérias foi analisada por Western blot.

Resultados

Os achados mostraram proteínas de alto peso molecular frequentemente detectáveis nas amostras. S. aureus foi a bactéria mais encontrada nas amostras (p<0,05). Cerca de 93,8, 56,3, 62,5 e 60,4% das amostras apresentaram IgA reativa a S. aureus , K. pneumoniae , S. enteritidis e E. coli , respectivamente. Aproximadamente 40% das amostras não apresentaram IgA reativa contra K. pneumoniae , S. enteritidis e E. coli.

Conclusão

A evidência clínica da importância da amamentação para proteção imunológica ao recém-nascido foi consistente com os achados imunológicos observados, uma vez que a maioria das amostras mostrou IgA reativa contra as espécies testadas. A aplicação e o desenvolvimento de imunoterapias durante a gestação, focada nos antígenos frequentemente detectados, poderiam ser importantes instrumentos para aumentar a presença de IgA no colostro.

Análise de IgA do colostro contra bactérias envolvidas em infecções neonatais

Comentários