einstein (São Paulo). 01/jun/2013;11(2):186-9.

Tratamento sem uso de tela em herniorrafia inguinal por via aberta: estudo prospectivo

Paulo Kassab, Ettore Ferrari Franciulli, Carolina Kassab Wroclawski, Elias Jirjoss Ilias, Osvaldo Antônio Prado Castro, Carlos Alberto Malheiros

DOI: 10.1590/S1679-45082013000200009

Objetivo:
Avaliar dois tipos de correção de hérnias inguinais sem o uso de tela e avaliar a taxa de recidiva.
MÉTODOS:
Foram operados sequencialmente 98 homens e 15 mulheres portadores de 144 hérnias inguinais unilaterais ou bilaterais entre dezembro de 1988 e abril de 2007. As cirurgias foram realizadas por dois cirurgiões experientes e divididas em dois grupos: reconstruções pela técnica de Bassini ou McVay. Os reforços tipo Bassini foram utilizados para hérnias do tipo Nyhus II e IIIB, em que havia menor destruição da parede posterior do canal inguinal. Os pacientes com hérnias do tipo Nyhus IIIA e Nyhus IIIB, em que havia maior destruição da fáscia transversalis, e Nyhus IIIC foram submetidos à técnica de McVay.
RESULTADOS:
Setenta e cinco hérnias foram corrigidas utilizando-se a técnica de McVay. Somente duas recidivas (2,67%) foram observadas nesse grupo. No grupo Bassini, foram observadas duas recidivas (2,89%) entre 69 hérnias operadas (p=0,658). A média de idade para o grupo de pacientes com recidiva foi de 56 anos. Não foram observadas diferenças de idades entre homens e mulheres (52 anos).
CONCLUSÃO:
Os reparos sem telas nas hérnias inguinais podem ser seguramente utilizados, se realizados por cirurgiões experientes.

Tratamento sem uso de tela em herniorrafia inguinal por via aberta: estudo prospectivo

388

Comentários