einstein (São Paulo). 01/set/2011;9(3):372-6.

Transplante multivisceral em suínos: modelo de pesquisa e treinamento

André Ibrahim David, Valéria Vieira Chida, Andre Dong Won Lee, Felipe Soares Oliveira Rodrigues Fiuza, Daniela Medeiros Calil, Danielle de Carvalho Mantovani, Eduardo Rullo Maranhão, Gabriel Beligni Campi, Juan Carlos Llanos, Ben-Hur Ferraz Neto

DOI: 10.1590/s1679-45082011ao1956

RESUMO
Objetivo:
Apresentar um modelo de pesquisa e treinamento em transplante multivisceral em suínos.
Métodos:
Oito porcos da raça Large White (quatro doadores e quatro receptores) foram operados. O transplante multivisceral com estômago, duodeno, pâncreas, fígado e intestino foi realizado a semelhança do transplante em seres humanos com algumas diferenças descritas a seguir. Foram realizadas as anastomoses de veia cava supra-hepática do enxerto com a veia cava do receptor justa diafragmática término-terminal, veia cava infrahepática do enxerto com a veia cava inferior (suprarrenal) do receptor término-terminal e patch da aorta do enxerto com a aorta infrarrenal do receptor término-lateral e reconstrução digestiva.
Resultados:
Foi possível a realização do transplante multivisceral nos quatro animais. A reperfusão do enxerto multivisceral levou a uma grave síndrome de isquemia-reperfusão, apesar do flush do enxerto. Os animais apresentaram hipotensão com necessidade de drogas vasoativas em altas doses, sendo todos sacrificados com a retirada dessas drogas..
Conclusão:
Alternativas para minimizar a síndrome de isquemiareperfusão, como o uso de mais de uma droga vasoativa, uso de um terceiro porco apenas para transfusão sanguínea, presença de uma equipe de anestesia na sala de cirurgia e redução do enxerto, serão os próximos passos para possibilitar estudos experimentais.

Transplante multivisceral em suínos: modelo de pesquisa e treinamento

53

Comentários