einstein (São Paulo). 01/dez/2011;9(4):429-35.

Marcadores hepáticos, prevalência de alterações da síndrome metabólica e efeito do bypass gástrico com reconstrução em Y-de-Roux em pacientes obesos mórbidos

Ary Serpa Neto, Felipe Martin Bianco Rossi, Rodrigo Dal Moro Amarante, Marçal Rossi

DOI: 10.1590/s1679-45082011ao2042

RESUMO
Objetivos: Avaliar as relações entre os marcadores hepáticos (GGT, ALT e TGO) e a síndrome metabólica (e seus componentes) em indivíduos com obesidade mórbida, e determinar a resposta desses fatores metabólicos e enzimas hepáticas após a perda de peso induzida pelo bypass gástrico em Y-de-Roux.
Métodos:
Estudo realizado em um hospital universitário, localizado em Santo André (SP). Foram avaliados 140 indivíduos com obesidade mórbida, entre 18 e 60 anos de idade, submetidos ao bypass gástrico em Y-de-Roux, acompanhados por um período médio de 8 meses. Pacientes com história de alcoolismo pesado, diabetes tipo 1 e/ou doença hepática foram excluídos.
Resultados:
Os marcadores hepáticos, principalmente GGT, foram fortemente associados a alterações metabólicas, principalmente hiperglicemia. A prevalência de diabetes tipo 2 aumentou significativamente com a elevação dos níveis de GGT [quartil superior versus inferior: odds ratio 3,89 (IC95%: 1,0714,17)]. Os marcadores hepáticos diminuíram significativamente 8 meses após o bypass em Y-de-Roux e a redução dos níveis de GGT estava associada à redução dos níveis de glicose (Pearson r = 0,286; p = 0,001).
Conclusões:
Níveis elevados de marcadores hepáticos, principalmente GGT, em pacientes com obesidade mórbida, estavam associados a alterações metabólicas. Além dos já conhecidos benefícios da cirurgia bariátrica, o bypass gástrico em Y-de-Roux reduziu os níveis dos marcadores hepáticos a valores normais.

Marcadores hepáticos, prevalência de alterações da síndrome metabólica e efeito do bypass gástrico com reconstrução em Y-de-Roux em pacientes obesos mórbidos

73

Comentários