einstein (São Paulo). 01/set/2012;10(3):306-11.

Influenza pandêmica A/H1N1: análise comparativa de alterações histopatológicas pulmonares

Roberta Marchiori, Carla Sakuma de Oliveira Bredt, Marcos Menezes Freitas de Campos, Fábio Negretti, Péricles Almeida Delfino Duarte

DOI: 10.1590/S1679-45082012000300009

Objetivo:
Analisar as alterações histológicas pulmonares de quatro casos fatais de influenza pandêmica H1N1, correlacionando-os a características clínico-epidemiológicas.
MÉTODOS:
Estudo retrospectivo e descritivo de dados de prontuários de quatro pacientes que faleceram por influenza H1N1 na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital universitário, em 2009. Os pacientes haviam sido submetidos a aspirado de nasofaringe e as amostras foram analisadas pelo método de reação em cadeia da polimerase em tempo real. Biópsia pulmonar foi realizada no dia do óbito; um escore de intensidade das alterações histopatológica foi aplicado.
RESULTADOS:
Três pacientes apresentaram reação em cadeia da polimerase em tempo real com resultado positivo (embora todos tivessem diagnóstico de influenza H1N1). As principais alterações histológicas identificadas foram: dano alveolar difuso exsudativo, com atelectasia de alvéolos; graus variáveis de hemorragia e edema alveolar; necrose e descamação do epitélio respiratório de vários bronquíolos; e formação de trombos. Uma das pacientes (gestante) apresentou, à histopatologia, achado de inclusão citomegálica.
CONCLUSÃO:
Os achados histopatológicos pulmonares em pacientes com influenza H1N1 fatal revelaram dano alveolar grave, com hemorragia alveolar e bronquiolite. Foi descrita uma coinfecção com citomegalovírus em paciente gestante.

Influenza pandêmica A/H1N1: análise comparativa de alterações histopatológicas pulmonares

45

Comentários