einstein (São Paulo). 01/set/2016;14(3):408-14.

Imagem molecular pré-clínica: desenvolvimento de instrumentação para pesquisa translacional com pequenos animais

Jorge Mejia, Ana Claudia Camargo Miranda, Ana Claudia Ranucci Durante, Larissa Rolim de Oliveira, Marycel Rosa Felisa Figols de Barboza, Katerin Taboada Rosell, Daniele Pereira Jardim, Alexandre Holthausen Campos, Marilia Alves dos Reis, Marcela Forli Catanoso, Orfa Yineth Galvis-Alonso, Francisco Romero Cabral

DOI: 10.1590/S1679-45082016AO3696

RESUMO
Objetivo:
Apresentar o resultado da adaptação de uma gama câmara clínica para uso dedicado na obtenção de imagens tomográficas in vivo de órgãos de pequenos animais de experimentação, e de sua aplicação na obtenção de imagens cardíacas, renais e neurológicas.
Métodos:
Foi construída uma versão atualizada do dispositivo de adaptação miniSPECT, composto por três subsistemas: mecânico, eletrônico e de software. O dispositivo foi montado em uma câmara Discovery VH da General Electric Healthcare, retirada do serviço clínico e instalada no Centro de Imagem Pré-Clínica do Hospital Israelita Albert Einstein. O sistema combinado foi caracterizado, determinando parâmetros de funcionamento como resolução espacial, magnificação, limites de tamanho dos alvos de estudo, número de projeções, tempo de registro e tempo de reconstrução das imagens tomográficas.
Resultados:
Foram obtidas imagens com resolução espacial de até 0,5mm, com tempos de registro e reconstrução de 30 a 45 minutos, utilizando reconstrução iterativa com 10 a 20 iterações e 4 subconjuntos de projeções. O sistema foi validado obtendo imagens tomográficas in vivo do coração, dos rins e do cérebro de animais normais (camundongos e ratos adultos), utilizando os radiofármacos hexaquis-2-metoxi-isobutil-isonitrila marcado com 99mTc (Sestamibi-99mTc), ácido dimercaptosuccínico marcado com 99mTc (DMSA-99mTc) e hexametil-propileno-amina-oxima marcada com 99mTc (HMPAO-99mTc)..
Conclusão:
Este tipo de aplicação, que consiste na adaptação para um objetivo alternativo de instrumentação já existente, constituiu-se em uma opção de infraestrutura de baixo custo, que permite realizar estudos in vivo em larga escala, com qualidade aprimorada, em áreas diversas, como neurologia, nefrologia, cardiologia, entre outras.

Imagem molecular pré-clínica: desenvolvimento de instrumentação para pesquisa translacional com pequenos animais

62

Comentários