einstein (São Paulo). 01/jan/2011;9(1 Pt 1):84-9.

Fisioterapia aquática como modalidade de tratamento em idosos não institucionalizados: uma revisão sistemática

Gisele da Silveira Sarmento, Andréa Sanchez Navarro Pegoraro, Renata Cereda Cordeiro

DOI: 10.1590/S1679-45082011RW1695

RESUMO

Objetivo:

Revisar a literatura científica acerca da efetividade da fisioterapia aquática na população idosa e institucionalizada.

Métodos:

Revisão sistemática qualitativa nas bases de dados eletrônicas MEDLINE e LILACS, com os descritores de assunto: “hidroterapia” (“hidrotherapy”), “instituição de longa permanência para idoso” (“homes for the aged, residential facilities“) e “idoso” (“aged“). Diante da inexistência de estudos realizados na população institucionalizada, optou-se por revisar a literatura acerca da efetividade dessa modalidade de tratamento fisioterapêutico na população idosa não institucionalizada, a fim de se produzirem conhecimentos que pudessem ser analisados criticamente conforme sua aplicabilidade potencial na população institucionalizada. A qualidade metodológica dos estudos foi avaliada por meio da lista Delphi.

Resultados:

Foram excluídos 10 estudos dos 27 analisados a partir do resumo, por não corresponderem aos critérios de elegibilidade. Foram analisadas as características dos sujeitos de cada estudo, bem como a qualidade metodológica (boa qualidade metodológica em 47% dos estudos), as medidas de resultado consideradas, as estratégias de intervenção, os locais onde ocorreram e os profissionais envolvidos (76% por fisioterapeutas).

Conclusão:

Embora, grande parte dos estudos tenha demonstrado bons resultados com a prática da fisioterapia aquática, nenhum deles foi aplicado em instituição de longa permanência para idoso. Sendo assim, são necessários mais estudos nessa área para que seja proposto um modelo assistencial em instituição de longa permanência para idoso.

Fisioterapia aquática como modalidade de tratamento em idosos não institucionalizados: uma revisão sistemática

Comentários