einstein (São Paulo). 03/maio/2018;16(2):eRC4025.

Estudo clínico e imuno-histoquímico de tumor neuroectodérmico melanocítico da infância em maxila

Hellen Bandeira de Pontes Santos, Aníbal Henrique Barbosa de Luna, Pedro Everton Marques Goes, Alexander Tadeu Sverzut, Cassiano Francisco Weege Nonaka, Pollianna Muniz Alves

DOI: 10.1590/S1679-45082018RC4025

RESUMO

O tumor neuroectodérmico melanocítico da infância é uma neoplasia rara e de crescimento rápido. Neste estudo, relata-se o caso de uma paciente do sexo feminino de 6 meses de idade, que apresentou tumefação na região anterior de maxila. A reconstrução tomográfica revelou área unilocular hipodensa e expansiva associada ao incisivo central superior direito decíduo. Realizou-se biópsia incisional, considerando as hipóteses diagnósticas de cisto dentígero, tumor odontogênico adenomatoide, tumor neuroectodérmico melanocítico da infância e rabdomiossarcoma. Microscopicamente, a lesão revelou população celular bifásica, consistindo de células pequenas, ovoides, de aparência neuroblástica, e de células epitelioides, contendo melanina. A análise imuno-histoquímica demonstrou que o componente celular contendo melanina era positivo de forma intensa e difusa para HMB-45 e Melan-A, mas levemente positivo para S100. Com base nestes achados, foi estabelecido o diagnóstico definitivo de tumor neuroectodérmico melanocítico da infância. Em seguida, foi realizada a enucleação da lesão com curetagem cuidadosa. Após 2 anos de acompanhamento, não foram verificadas evidências clínicas ou radiográficas de recorrência. O presente caso destaca a importância do diagnóstico precoce e da intervenção terapêutica no momento apropriado, a fim de alcançar um desfecho favorável para o paciente.

Estudo clínico e imuno-histoquímico de tumor neuroectodérmico melanocítico da infância em maxila

Comentários