einstein (São Paulo). 01/jan/2011;9(1 Pt 1):66-9.

Esterilização de cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo: um estudo experimental

Fernando Korkes, Alex Menezes, Cely Barreto da Silva, Roni de Carvalho Fernandes, Marjo Deninson Cardenuto Perez

DOI: 10.1590/S1679-45082011AO1762

RESUMO

Objetivo:

Avaliar experimentalmente a eficácia de um protocolo padrão de esterilização de cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo.

Métodos:

Estudo realizado com 20 cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo: 10 foram utilizadas no processo inicial de validação do método, contaminadas com Escherichia coli ATCC 25922 e semeadas em meio de Müeller-Hinton; 10 foram contaminadas com Geobacillus stearothermophilus ATCC 7953, processadas, inoculadas em TSB e incubadas em banho maria, a 55 °C. O crescimento bacteriano foi avaliado depois de 1, 3, 5 e 7 dias. Após a esterilização, as cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo foram abertas e fechadas 40 vezes para avaliar problemas funcionais. Todas as partes plásticas foram avaliadas quanto a danos.

Resultados:

Após as 72 horas de incubação, observou-se crescimento de E. coli ATCC 25922 em todos os meios. Após a esterilização e até 7 dias de incubação, não houve crescimento de G. stearothermophilus ATCC 7953 ou de qualquer outra bactéria. Não foram observados problemas funcionais ou danos nas cestas após a esterilização.

Conclusão:

O processo de esterilização com óxido de etileno é seguro e eficaz para re-esterilizar cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo descartáveis. Contudo, são necessários mais estudos clínicos para fornecer mais informações sobre segurança.

Esterilização de cestas helicoidais descartáveis extratoras de cálculo: um estudo experimental

Comentários