einstein (São Paulo). 01/jun/2013;11(2):197-202.

Epidemiologia da artroplastia total de quadril e de joelho: estudo transversal

Mario Lenza, Silvia de Barros Ferraz, Dan Carai Maia Viola, Reynaldo Jesus Garcia Filho, Miguel Cendoroglo Neto, Mario Ferretti

DOI: 10.1590/S1679-45082013000200011

Objetivo:
Descrever as características epidemiológicas e os eventos adversos dos pacientes submetidos aos procedimentos de artroplastia de quadril e joelho.
MÉTODOS:
Estudo transversal, com avaliação retrospectiva de prontuários médicos de todas artroplastias de quadril e de joelho realizadas entre janeiro de 2007 e dezembro de 2010, em hospital privado. Foram incluídos pacientes adultos submetidos à artroplastia total do quadril ou do joelho, com anuência dos cirurgiões. Foram excluídos os pacientes com prontuários incompletos ou perdidos na base de dados do hospital. As variáveis categóricas analisadas foram: idade, gênero, tipo de artroplastia (primária ou secundária), tipo de procedimento, tempo de cirurgia, uso de drenos, risco de infecção, adesão ao protocolo para prevenção de trombose venosa profunda e embolia pulmonar, e adesão ao protocolo para prevenção de infecção. Os desfechos avaliados dos pacientes foram eventos adversos ocorridos após a cirurgia.
RESULTADOS:
Foram incluídos 510 pacientes, sendo 166 hospitalizações para artroplastia do joelho (92 do gênero masculino) e 344 hospitalizações para artroplastia do quadril (176 do gênero feminino). A média da idade dos pacientes foi 71 anos (variação 31 a 99 anos). Os eventos adversos ocorreram em 76 pacientes (14,9%); não foi encontrada correlação entre as variáveis avaliadas e o número de complicações.
CONCLUSÃO:
Os dados não demonstraram fatores individuais que favorecessem complicações de pacientes submetidos à artroplastia do quadril e joelho; portanto, os cirurgiões têm que considerar administrações profiláticas para evitar complicações.

Epidemiologia da artroplastia total de quadril e de joelho: estudo transversal

613

Comentários