einstein (São Paulo). 01/set/2013;11(3):373-5.

Endocardite por Streptococcus gallolyticus em portadora de lúpus eritematoso sistêmico: avaliação pelo ecocardiograma tridimensional

Rudyney Eduardo Uchôa de Azevedo, Ana Clara Tude Rodrigues, Lucas Arraes de França, Maria Luciana Zacarias Hannouche da Trindade, Marcelo Luiz Campos Vieira, Claudio Henrique Fischer, Samira Saady Morhy

DOI: 10.1590/S1679-45082013000300020

Mulher de 42 anos foi encaminhada ao hospital com história de febre e queda do estado geral há 30 dias. À admissão, apresentava taquicardia e sopro sistólico na região apical. Os exames de laboratório mostraram leucocitose com 13.100/mL, hemoglobina 8,4g/dL e anticorpos positivos para lúpus eritematoso sistêmico (anti-Ro/SSA, anti-La/SSB, anticardiolipina e anticorpo antinuclear); hemocultura foi positiva para Streptococcus gallolyticus. Foi realizado um ecocardiograma transesofágico tridimensional, que mostrou múltiplas vegetações na valva mitral, com perfuração do folheto e refluxo importante, além de grande vegetação aórtica com perfuração valvar e refluxo importante adicionalmente. Pequena vegetação foi identificada na valva tricúspide, com um refluxo significativo. O emprego da ecocardiografia transesofágica tridimensional proporcionou o diagnóstico de complicações decorrentes de endocardite infecciosa.

Endocardite por Streptococcus gallolyticus em portadora de lúpus eritematoso sistêmico: avaliação pelo ecocardiograma tridimensional

75

Comentários