einstein (São Paulo). 01/dez/2016;14(4):455-60.

Efeito do exercício materno em parâmetros biofísicos maternofetais: um estudo transversal

Caroline Mombaque dos Santos, Wendel Mombaque dos Santos, Francisco Maximiliano Pancich Gallarreta, Camila Pigatto, Luiz Osório Cruz Portela, Edson Nunes de Morais

DOI: 10.1590/s1679-45082016ao3758

RESUMO
Objetivo
Avaliar os efeitos agudos de respostas hemodinâmicas maternas e fetais em gestantes submetidas a Doppler fetal e a um teste de exercício físico aeróbio, de acordo com o grau de esforço durante a atividade e o impacto sobre o bem-estar.
Métodos
Estudo transversal desenvolvido com gestantes de baixo risco, por amostra de conveniência com idade gestacional entre 26 e 34 semanas. As participantes realizam um teste de esforço progressivo.
Resultados
Na artéria umbilical, após sessão de exercício físico, identificou-se a redução do índice de resistência (p=0,02) e do índice de pulsatilidade (p=0,01), mas os demais parâmetros Doppler analisados, além da cardiotocografia e do perfil biofísico fetal, não obtiveram alteração significativa. Os parâmetros maternos obtiveram crescimento linear com a atividade, mas não foi possível estabelecer padrão com a escala de Borg, e a saturação de oxigênio se manteve estável.
Conclusão
O esforço submáximo curto teve pouco efeito sobre o fluxo de sangue da placenta após o exercício em gestações sem complicações, corroborando que o feto hígido mantém a homeostase mesmo em situações que alterem a hemodinâmica materna.

Efeito do exercício materno em parâmetros biofísicos maternofetais: um estudo transversal

35

Comentários