einstein (São Paulo). 11/dez/2015;13(4):525-9.

Complicações obstétricas e idade materna no parto são preditores de sintomas de transtornos alimentares em estudantes universitários da área da Saúde

Mara Cristina Lofrano-Prado, Wagner Luiz do Prado, Mauro Virgilio Gomes de Barros, Thiago Ricardo dos Santos Tenório, Sandra Lopes de Souza

DOI: 10.1590/S1679-45082015AO3366

RESUMO
Objetivo
Identificar a associação entre fatores perinatais/neonatais e sintomas de transtornos alimentares entre estudantes universitários.
Métodos
Quatrocentos e oito estudantes universitários (283 mulheres), com idade entre 18 e 23 anos, matriculados no primeiro semestre de cursos de Bacharelado na área das Ciências da Saúde foram incluídos na amostra. Sintomas de transtornos alimentares e de insatisfação com a imagem corporal foram avaliados por meio do Eating Attitudes Test e do Bulimic Investigatoty Test of Edinburgh. Informações sobre o peso ao nascer, aleitamento materno, complicações obstétricas, idade materna no momento do parto, tipo de parto e ordem de nascimento foram relatadas pelos voluntários após consulta com seus pais. A associação entre fatores perinatais/neonatais e sintomas de anorexia nervosa e bulimia nervosa foi avaliada por meio de regressão logística binária ajustada por sexo, idade e índice de massa corporal.
Resultados
A probabilidade de apresentar sintomas de anorexia nervosa foi 0,5 vez mais baixa para os alunos nascidos de mães mais velhas (odds ratio – OR=0,37; intervalo de confiança de 95% – IC 95%=0,17-0,83). Em relação à bulimia nervosa, o risco foi maior entre os estudantes que relataram complicações obstétricas (OR=2,62; IC 95%=1,03-6,67).
Conclusão
Observou-se associação entre fatores perinatais e neonatais com sintomas de transtornos alimentares em estudantes universitários.

Complicações obstétricas e idade materna no parto são preditores de sintomas de transtornos alimentares em estudantes universitários da área da Saúde

60

Comentários