einstein (São Paulo). 11/dez/2015;13(4):487-91.

Características clínicas e de sobrevida global em pacientes oncológicos idosos num centro oncológico terciário

Yuri Philippe Pimentel Vieira Antunes, Diogo Diniz Gomes Bugano, Auro del Giglio, Rafael Aliosha Kaliks, Theodora Karnakis, Lucíola de Barros Pontes

DOI: 10.1590/S1679-45082015AO3067

RESUMO
Objetivo
Avaliar o perfil epidemiológico e a sobrevida global em uma grande população de indivíduos idosos diagnosticados com tumores sólidos, em um hospital terciário.
Métodos
Estudo retrospectivo que incluiu pacientes com idade >65 anos, diagnosticados com tumores sólidos entre janeiro de 2007 e dezembro de 2011, no Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, Brasil. Os prontuários médicos foram revisados para se obterem informações sobre variáveis clínicas e sobrevida global.
Resultados
Foi identificado um total de 806 pacientes, sendo 58,4% deles do sexo masculino. A média de idade foi de 74 anos (65 a 99 anos). Os tipos mais comuns de câncer foram de próstata (22%), colorretal (21%), de mama (19%) e de pulmão (13%), seguidos pelos de bexiga (8%), pâncreas (6%) e outros tipos (11%). A maioria dos pacientes foi diagnosticada em estágios iniciais. Depois de um seguimento médio de 27 meses (15 a 45 meses), 29% (234/806) estavam mortos, predominantemente no grupo com idade >70 anos. Para toda a coorte, a mediana de taxa de sobrevida em 2 anos foi 71%. A mediana de sobrevida global não foi alcançada dentro do período de estudo. Em análise multivariada, idade (HR: 1,35; IC95%: 1,25-1,45; p<0,001) e estadiamento (HR: 1,93; IC95%: 1,75-2,14; p<0,001) foram preditores negativos independentes de pior sobrevida.
Conclusão
Os tumores mais prevalentes foram de próstata, colorretal, mama e pulmão, com uma grande proporção diagnosticada em estádios iniciais, o que reflete em um grande número de pacientes vivos até o último seguimento.

Características clínicas e de sobrevida global em pacientes oncológicos idosos num centro oncológico terciário

54

Comentários