einstein (São Paulo). 24/maio/2016;14(2):226-30.

Análise comparativa de ampolas e frascos-ampolas em embalagens estéreis e convencionais quanto a carga microbiana e teste de esterilidade

Raphael Ribeiro de Aquino Freitas, Maria Angela Tardelli

DOI: 10.1590/S1679-45082016AO3484

RESUMO
Objetivo
Comparar a esterilidade e a carga microbiana (bactérias e fungos) da parte externa dos frascos de envasamento de bupivacaína hiperbárica (Neocaína®) em ampola e bupivacaína em frasco-ampola das apresentações convencional e estéril (sterile pack).
Métodos
As apresentações estéreis (sterile pack) foram distribuídas em dois grupos, sendo que o G1 (n=16) continha as ampolas e o G2 (n=16), os frascos-ampola. As apresentações convencionais foram distribuídas em dois grupos, a saber G3 (n=16) com as ampolas e G4 (n=16) com os frascos-ampola. As ampolas e os frascos-ampolas eram abertos e tinham seu conteúdo aspirado. Os frascos vazios eram, então, acondicionados em sacos plásticos estéreis e enviados para análise quanto à carga microbiana (bactérias e fungos), bem como para o teste de esterilidade. Os dados foram analisados por meio do teste χ2 com correção Yates com intervalo de confiança de 95%.
Resultados
Os grupos G1 e G2 não apresentaram crescimento bacteriano quando comparado aos grupos convencionais (p<0,001). O microbiano mais comum nas amostras convencionais foi o Staphylococcus aureus. Não houve crescimento de fungos em nenhum dos grupos.
Conclusão
O uso de embalagens estéreis (sterile pack) diminui a carga microbiana dos frascos de envasamentos, o que diminuiria a chance de exposição a uma potencial contaminação da solução anestésica.

Análise comparativa de ampolas e frascos-ampolas em embalagens estéreis e convencionais quanto a carga microbiana e teste de esterilidade

160

Comentários